Poucos setores do mercado de tecnologia são tão variados quanto o de impressoras. Até mesmo as gôndolas brasileiras — que costumam ser bem mais limitadas em comparação com as gringas — estão equipadas com centenas de modelos diferentes, o que pode confundir bastante os consumidores menos experientes. E é no momento da compra que surge aquela velha dúvida: afinal, qual é o equipamento mais apropriado para mim?

Investir na impressora errada pode trazer muitas dores de cabeça no futuro. Você poderá gastar muito dinheiro com suprimentos ou se decepcionar com a qualidade de impressão oferecida pelo produto escolhido. Cada gadget lançado no varejo é feito para um público bem específico, e, sendo assim, é essencial conhecer suas particularidades e entender suas diferenças — só assim você poderá abrir a carteira sem ter medo de se arrepender.

Atualmente, duas categorias de impressoras dominam esse mercado: as que funcionam com jatos de tinta e as que utilizam toners (também chamadas de impressoras a laser). É óbvio que existem outras tecnologias além dessas, mas elas são específicas demais (como as matriciais, voltadas para impressão de documentos fiscais), e, por isso, não serão abordadas em detalhes ao longo deste artigo.

Aprenda a escolher o modelo certo e evite dores de cabeça

Impressoras a jato de tinta

É possível encontrar bons modelos por preços que começam em  R$ 249

As impressoras a jato de tinta constituem a categoria mais popular entre a maioria dos consumidores. Nascidas na década de 50 e aprimoradas até os anos 70, essas máquinas  possuem esquema de funcionamento bastante simples: uma vez equipada com cartuchos cheios de tinta líquida, a impressora utiliza bocais minúsculos para derramar gotículas de tinta no papel, formando o desenho impresso a partir das orientações de um software.

É por causa desse processo que as folhas de papel geralmente saem levemente molhadas. São necessários quatro cartuchos para que uma impressora a jato de tinta funcione corretamente: ciano (Cyan), magenta (Magenta), amarelo (Yellow) e preto (Black). Esse padrão é conhecido como CMYK e foi aplicado ao mercado de impressão justamente porque a combinação de tais tonalidades é capaz de criar praticamente qualquer outra cor.

Cartuchos selados de uma impressora a jato de tinta; a cor amarela está ausente

Vantagens

As impressoras a jato de tinta são as mais baratas do mercado. Em uma rápida pesquisa no Google Shopping, é possível encontrar bons modelos por preços que começam em  R$ 249. É claro que existem alguns produtos bem mais caros (mais de R$ 1 mil), mas eles são voltados a quem pretende imprimir fotos com qualidade profissional ou planeja usar papéis com formatos incomuns (como folhas A3 ou tamanhos maiores).

Além de economizar no equipamento em si, você também vai gastar menos com suprimentos, visto que um cartucho de tinta não custa mais do que R$ 35. Por fim, no geral, essas impressoras possuem uma qualidade de impressão satisfatória e cores bastante vivas, apropriadas para quem imprime mais imagem do que texto.

As impressoras a jato de tinta são ótimas para imprimir fotos

Desvantagens

Por outro lado, embora seus cartuchos sejam baratos, as impressoras a jato de tinta utilizam muita matéria-prima. Isso significa que você terá que comprar suprimentos o tempo todo caso a utilize constantemente. Isso não é um problema para quem pretende imprimir uma ou duas fotos de vez em quando, mas com certeza é um incômodo para os consumidores que têm uma demanda de impressão um pouco mais alta.

A tecnologia de jato de tinta também não é apropriada para o usuário que imprime mais texto do que foto (como escritórios que precisam gerar vários documentos em um curto espaço de tempo), já que as impressoras de tal padrão não são muito ágeis para isso.

Os cartuchos de tinta não duram muito e precisam ser descartados rapidamente

Impressoras a laser (toner)

As impressoras a laser são bem mais rápidas do que as de jato de tinta

Já as impressoras a laser não utilizam tinta líquida para realizar a impressão, mas sim um pó pigmentado batizado como toner (daí a alcunha alternativa dessas máquinas). Elas funcionam de uma forma um pouco mais complicada: primeiramente, um tambor cilíndrico é bombardeado com raios laser que traçam o que será impresso. As áreas atingidas pelo laser se transformam em um molde eletrostático da imagem ou texto em questão.

Em seguida, o recipiente do toner libera um pouco do pó no cilindro. Como o pigmento tem carga negativa, ele é automaticamente atraído pelo molde (que possui carga positivo) e adere ao cilindro. É só então que a folha de papel entra no meio do maquinário e o tambor pressiona o toner sobre ela, transferindo todo o pó. Por fim, uma dupla de componentes conhecidos como fusores aquece a folha para que o toner seja fixado permanentemente.

O processo de impressão a laser é bem mais complexo

Vantagens

As impressoras a laser são bem mais rápidas do que as de jato de tinta, especialmente para documentos de texto — a média do mercado fica em 20 ppm (sigla para páginas por minuto). Além disso, uma impressão feita com toner é bem mais “limpa”, ou seja, você não encontra resíduos de tinta no papel e provavelmente nunca sofrerá com uma imagem borrada e tampouco vai precisar esperar “a tinta secar”.

Por fim, um cartucho de toner dura muito mais do que um cartucho de tinta, conseguindo imprimir um número superior de páginas antes de precisar ser substituido. Isso colabora para um ambiente de impressão ecologicamente amigável, visto que você não gera tanto lixo durante o processo.

Cartucho de toner de uma impressora a laser da Brother

Desvantagens

Impressoras a laser são caras. Você não vai conseguir encontrar um modelo monocromático (que imprime somente em preto e branco) por menos de R$ 449. Caso queira um equipamento que consiga trabalhar com cores, prepare-se para investir pelo menos uns R$ 799. Além da máquina em si, você também vai gastar mais com os suprimentos, visto que os toners custam de R$ 119 a R$ 199.

Essas impressoras também não são muito boas para imprimir fotografias (a fidelidade de cores não é tão alta em comparação com as jato de tinta) e, geralmente, não suportam papéis de tamanhos incomuns, mantendo-se fiel ao clássico padrão A4.

Em vez de tinta líquida, um cartucho de toner armazena pó pigmentado

Bulk Ink: jatos de tinta com maior economia

Não poderíamos deixar de comentar também sobre as impressoras Bulk Ink, também chamadas de tanque de tinta. Trata-se de uma subcategoria da jato de tinta que possui o mesmo princípio de funcionamento — um cabeçote de impressão utiliza minúsculos bocais para depositar gotículas de tinta no papel, combinando as tonalidades ciano, magenta, amarelo e preto.

A grande vantagem dessa tecnologia é a redução de custos

A diferença é que tais equipamentos não utilizam cartuchos selados, mas sim reservatórios que você mesmo pode abrir e encher com mais tinta líquida de acordo com a necessidade. É fácil identificar uma impressora de tanque de tinta — os reservatórios geralmente estão posicionados no exterior da máquina, fazendo com que o design desses equipamentos seja um tanto rústico.

A grande vantagem dessa tecnologia é a redução de custos. Por conta de sua alta capacidade de armazenamento, os tanques representam uma economia de até 95% em comparação com os cartuchos selados utilizados em impressoras a jato convencionais. Os modelos disponíveis no mercado brasileiro podem ser adquiridos por pelo menos R$ 800 — também é possível comprar sistemas para adaptar uma impressora normal e equipá-la com tanques, mas essa opção é um tanto trabalhosa e o resultado nem sempre é satisfatório.

Uma jato de tinta adaptada para trabalhar com Bulk Ink; repare no gigantesco reservatório externo

Qual eu devo escolher?

No fim das contas, tudo depende de seu perfil como usuário. Se você procura uma impressora para uso residencial e planeja apenas imprimir algumas imagens e textos de vez em quando (fotografias, trabalhos escolares e outros documentos), uma jato de tinta é a melhor opção.

Além de mais acessível, essa tecnologia oferece uma ótima qualidade de impressão e velocidade satisfatória para uso não profissional. As impressoras com Bulk Ink atendem ao mesmo propósito, mas são recomendadas para quem quer imprimir ilustrações em grande quantidade (justamente por causa de seu reservatório de maior capacidade).

Por fim, caso você queira uma impressora para uso em escritórios, que consiga imprimir muitos documentos de texto em pouquíssimo tempo e que não exija manutenções constantes, uma impressora a laser é a melhor alternativa. Embora sejam mais caras e não lidem bem com cores, elas são ágeis e um único cartucho de toner é o suficiente para imprimir centenas de relatórios.

Cupons de desconto TecMundo: