As eleições presidenciais na França — que estão pegando fogo politicamente, com uma disputa acirrada de acordo com as pesquisas prévias — ganharam um toque bem interessante da tecnologia. Um dos candidados, Jean-Luc Mélenchon, resolveu adotar uma "gambiarra" para realizar uma série de comícios em sete diferentes cidades francesas ao mesmo tempo.

A solução encontrada por ele? Holografia, é claro! Afinal, quer ideia melhor do que estar presente em um só palco, mas transmitir a sua imagem para diversas localidades diferentes?

Confira a entrada virtual de Mélenchon em um de seus comícios, em um efeito que faz parecer que ele usou o teletransporte de Star Trek — mas com o visual azulado de uma imagem que seria transmitida pelo projetor holográfico do R2-D2, de Star Wars.

Que magia é essa?

Na verdade, holografia é um termo não muito preciso para descrever a técnica usada pelo político. Trata-se, na verdade, de um efeito de ilusão chamado Pepper's Ghost ("Fantasma de Pepper"), que já é utilizado desde o século XIX por mágicos e apresentadores de parques de diversão.

Basicamente, ele envolve uma fina tela de vidro que é transparente e reflexiva ao mesmo tempo. Isso permite que ela exiba uma projeção em 2D que parece "flutuar" em pleno ar se posicionada no ângulo correto, como se um fantasma da pessoa de fato estivesse presente no local.

Isso não faz dele tecnicamente um holograma

Atualmente, equipamentos modernos tratam de deixar o efeito ainda mais impressionante, mas isso não faz dele tecnicamente um holograma. Para se enquadrar nessa categoria, a projeção deveria ser em 3D e feita a partir da interferência de um raio projetado, como um laser.

Porém, claro que essa questão conceitual não faz a técnica ser menos impressionante — e uma ótima jogada política do francês para ganhar o noticiário mundial. Essa é a mesma forma de projeção que encantou o mundo em 2012, quando o rapper Tupac Shakur voltou à vida e dividiu o palco com Snoop Dogg em um dueto.

Cupons de desconto TecMundo: