O CEO da Oracle, Larry Ellison, não é exatamente fã de aparecer na mídia. Em uma de suas raras entrevistas, exibida nos Estados Unidos hoje de manhã, no programa CBS This Morning, o executivo continuou com sua torrente de comentários ácidos, dessa vez direcionados ao Google e às críticas quanto aos programas de vigilância instalado pelo governo norte-americano.

Após afirmar que a Apple está condenada sem Steve Jobs, Ellison chamou o Google de “absolutamente maligno” no tratamento da linguagem Java, usada para programação. A Oracle já chegou a processar a gigante das buscas por US$ 6 bilhões, mas perdeu a ação. O culpado para isso, afirma o executivo, é o próprio CEO da empresa, Larry Page.

Mal necessário

Já o programa de vigilância do governo dos Estados Unidos – que está espionando emails e todo tipo de comunicação feita via internet – foi taxado por Ellison como “essencial”. Para ele, o uso de sistemas desse tipo poderia, por exemplo, ter evitado ataques como o recente atentado em Boston e potencialmente salvar as vidas de milhares de cidadãos americanos.

Para o CEO da Oracle, a única maneira da vigilância ser um problema é caso os dados obtidos por meio dela sejam utilizados para fins políticos ou de guerra entre partidos. E, diz ele, não existem indícios de um uso não-autorizado dessas informações com outro objetivo que não a identificação de ameaças à segurança nacional.

Cupons de desconto TecMundo: