O Google Now pode se tornar a grande ferramenta do Android no futuro. Quem afirma isso são os próprios engenheiros da companhia, que trabalham para tornar o recurso um verdadeiro auxiliar, se adaptando às suas necessidades e não fazendo com que você tenha que modificar os seus hábitos de acordo com o funcionamento do software.

Introduzido pela primeira vez no Jelly Bean, no último mês de junho, o recurso foi pensado para oferecer a informação que você pode precisar, sem que para isso seja preciso pedir pelo conteúdo. A experiência transforma por completo o processo de busca, fazendo com que o usuário poupe tempo e tenha resultados mais eficientes com menos trabalho.

Mais do que uma simples busca

Em entrevista ao site The Verge, Hugo Barra, diretor de produtos do Android, exemplifica como esse novo tipo de buscas deve funcionar. Suponha que você esteja procurando uma exposição em um museu. O processo natural seria digitar o nome dessa exposição em um site de buscas e, como resultado, você obteria links explicando primeiramente do que se trata o evento em questão.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Com o Google Now, a ideia é que os resultados possam ser contextualizados, ou seja, se antecipem às próximas perguntas que você poderia fazer. Assim, o sistema já pode responder para você itens como onde essa exposição está acontecendo, até quando ela vai ficar aberta ou como você pode fazer para comprar ingressos ou chegar até ela.

Dessa forma, a ideia não é fazer com que você precise buscar quatro ou cinco termos antes de encontrar todos os resultados que deseja, mas sim que, a um único comando de voz, você possa ter como resposta tudo aquilo que desejava desde o princípio. É como se o sistema operacional aprendesse a “pensar” como um ser humano.

Um exemplo ainda mais simples pode ilustrar isso. Quando você pergunta para alguém “você tem horas?”, a resposta que você espera é que horas são, e não apenas um “sim” ou “não”. O que o Google está tentando fazer é compreender as suas perguntas, mas de um modo que seja possível dar respostas mais completas e — por que não? — inteligentes para o usuário.

(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

Como essa integração será feita?

A ideia é coletar todas as informações dos serviços da Google que você utiliza e reuni-las em uma espécie de central. Tudo isso, é claro, com a sua permissão. Assim, por exemplo, o serviço pode partir do seu email para checar dados como confirmações de voos, reservas de hotéis, agendamento de restaurantes e pedidos de encomendas para saber um pouco mais sobre você.

Se você mora em Curitiba, mas estará em São Paulo no próximo final de semana, talvez seja útil saber que aquele restaurante que serve a sua comida preferida estará com descontos especiais. Baseado em seu comportamento de usuário, o Google será capaz de se antecipar às suas necessidades, oferecendo quando possível algo mais além do que você poderia esperar.

(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

Faça isso com a busca por meio de voz

Para que seja possível transformar os seus pedidos de voz em termos escritos passíveis de busca pelo algoritmo do Google, a empresa tem aperfeiçoado diversas ferramentas. E isso não passa apenas por reconhecimento de voz, mas sim pelo entendimento da linguagem natural do ser humano e tudo aquilo que vem agregado a uma palavra dentro de um determinado contexto.

Em um único app, são combinados elementos como pesquisa por voz que entende a fala de um ser humano do mesmo modo que o cérebro, compreensão do contexto do que é dito e, em uma escala maior, entendimento de quem você é, onde está e o que está procurando. Se depender da Google, você ainda vai ouvir falar muito do Google Now no futuro.

Fonte: The Verge

Cupons de desconto TecMundo: