Será que, com essas melhorias, o Google Glass "pegaria"? (Fonte da imagem: Reprodução/VB)

O Google Glass realmente criou um novo segmento de dispositivos móveis, tornando realidade os óculos inteligentes. Ainda assim, o produto apresenta uma série de dificuldades que impedem sua comercialização em massa. O K-Glass, entretanto, resolve boa parte desses problemas, e ainda por cima conta com mais poder de processamento.

Esse tal de K-Glass é ainda um protótipo criado por uma equipe do Instituto de Ciência e Tecnologia Avançada da Coreia do Sul, e tenta mostrar que as dificuldades que o aparelho da Google tem não são tão impossíveis de resolver. O maior deles, a duração da bateria, por exemplo, simplesmente não existe no K-Glass. Isso porque o aparelho evita desperdiçar energia com processos inúteis do sistema operacional, o que permite a ele economizar energia e ainda ser 30 vezes mais rápido que o rival da Google.

Por ser um protótipo, o aparelho coreano conta com uma aparência nada amigável, como você pode conferir na imagem. Isso não chega a ser um problema para o aparelho da Google, que foi desenvolvido para ser elegante. De qualquer maneira, uma carga da bateria pode durar de 3 a 12 vezes mais no K-Glass (até 24 horas), mesmo processando muito mais dados que Glass da Google.

Para conseguir tal façanha, no aparelho coreano foi introduzido um chip de 32 nm² de processamento de realidade aumentada, que funciona a 1,22 TOPS (1012 operações por segundo). Ele ainda consegue fazer 1,57 TOPS/watt enquanto executa um vídeo de 30fps em 720p. Assim, uma versão comercial do protótipo seria bastante interessante para o consumo de mídia e até para o uso educacional, como o chefe da equipe de desenvolvimento, Yoo Hoi-Jun, comentou ao veículo oficial da instituição.

Não há detalhes, entretanto, sobre a continuação do desenvolvimento do projeto ou sobre como funciona o SO do aparelho, que também não tem previsão de lançamento comercial.

Cupons de desconto TecMundo: