Em 2010, competidores também não conseguiram explorar com sucesso as falhas do Chrome. (Fonte da imagem: MyGadgetNews)

A competição Pwn2Own começou a dar seus primeiros resultados. O evento reúne diversos hackers e pesquisadores, com o objetivo de explorar falhas na segurança de navegadores  para reforçar a segurança dos produtos e premiar os vencedores. Os quatro aplicativos mais utilizados no mercado são testados pelos competidores em máquinas especificadas pelos juízes.

O Safari foi o recordista da edição deste ano, mas de forma negativa: em apenas cinco segundos, a equipe de pesquisadores da empresa VUPEN conseguiu entrar no sistema do navegador, utilizando um Macbook Air. A conquista rendeu ao time o próprio computador do torneio e o prêmio de 15 mil dólares em dinheiro.

Em sua oitava edição, o Internet Explorer também não conseguiu resistir. O vencedor foi o irlandês Stephen Fewer, que utilizou um computador com Windows 7 para burlar o Modo de Segurança da máquina e controlar inteiramente o navegador através de três vulnerabilidades. O prêmio foi um notebook e a mesma quantia em dinheiro conquistada pelos hackers do Safari.

Os detalhes técnicos sobre a operação realizada por Fewer só serão divulgados após a Microsoft realizar uma atualização em seu programa para corrigir as falhas encontradas.

Para proteger o Firefox, a Mozilla realizou uma atualização no navegador dias antes da competição. Como recompensa, nenhum resultado negativo até agora. Já a Google foi mais audaciosa: decidiu pagar 20 mil dólares para quem conseguir hackear o Google Chrome. Nenhum progresso foi registrado até agora, portanto o prêmio pode ficar sem dono.

A Pwn2Own faz parte do CanSecWest 2011, conferência sediada em Vancouver, no Canada, que concentra várias palestras e exposições sobre segurança digital aplicada. As tentativas valendo os prêmios vão até amanhã. Além dos navegadores, alguns modelos portáteis também estão passando por testes.

Cupons de desconto TecMundo: