A briga dos navegadores está cada vez mais intensa, mas isso não significa que é uma guerra de “todos contra todos”. Pelo menos é o que ficou claro nas declarações de Peter Kasting, um dos principais engenheiros do Google Chrome, quando ele afirmou que o navegador de sua empresa e o Firefox são parceiros, não concorrentes.

A notícia vem à tona dias depois da renovação de um contrato milionário entre a empresa de Mountain View e a Mozilla, no qual a desenvolvedora do Firefox deve receber US$ 300 milhoes anuais de investimentos da Google.

Para Kasting, a explicação para a renovação da parceria é simples: “o objetivo principal do Chrome é fazer a web avançar o quanto puder e da forma mais rápida possível”, complementando ainda que não importa para o Chrome ter “toneladas de usuários”, mas sim uma web melhor, algo em que o Firefox pode ajudar, pois esse também é o compromisso da Mozilla.

Em sua postagem no Google+, Kasting ainda cutuca uma grande concorrente, ao afirmar que “o Chrome não precisa ser um Microsoft Office, um fazedor de dinheiro. Apenas fazer uma web mais capaz é o suficiente”. Além disso, ele afirma que ambos os navegadores (Chrome e Firefox) são diferentes e, portanto, servem a diferentes necessidades dos internautas.

Apesar da visão bastante altruísta do Google em fortalecer a Mozilla, o fato é que a desenvolvedora do Chrome correu para não perder a boa quantidade de acessos que recebe sendo o mecanismo de pesquisa oficial do Firefox. Isso acaba de vez com os rumores de que o Firefox poderia trocar o Google pelo Bing, buscador da Microsoft, em futuras versões.

Cupons de desconto TecMundo: