Quase dois anos depois do trágico acidente que matou Paul Walker, sua filha, Meadow Rain Walker, decidiu processar a Porsche. Segundo o advogado que representa a menina, o carro em que o ator – conhecido pelo seu papel como Brian O'Conner na franquia "Velozes e Furiosos" – estava, um Carrera GT, é perigoso e que não deveria estar nas ruas.

No processo, a principal alegação da parte de Meadow é que o veículo não tinha dispositivos de segurança que são encontrados em carros de corrida ou até mesmo em modelos mais baratos feitos pela montadora alemã – como o controle eletrônico de estabilidade –, que poderiam, ainda de acordo com o documento, ter prevenido o acidente ou permitido que Paul sobrevivesse.

Além do controle de estabilidade, o processo cita que o carro não contava com uma proteção adequada nas portas laterais e tinha linhas de combustível com defeito – o que teria causado o incêndio que começou imediatamente após o acidente.

Excesso de velocidade e direção perigosa

Calvin Kim, o advogado da Porsche Cars North America, disse: "Ficamos tristes sempre que alguém se machuca em um veículo da Porsche, mas acreditamos que os relatórios das autoridades sobre o caso deixam claro que o trágico acidente aconteceu como resultado de direção perigosa e excesso de velocidade".

Segundo a investigação que aconteceu, o carro em que Paul Walker estava – e que era conduzido por Roger Rodas, um amigo do ator – perdeu o controle e bateu em um poste a aproximadamente 140 km/h. A autópsia revelou que Walker morreu antes de o carro pegar fogo.

Cupons de desconto TecMundo: