O estudante austríaco Max Schrems não poderia imaginar que um simples pedido seu fosse resultar em uma tarefa tão trabalhosa. Citando uma lei europeia, ele solicitou formalmente junto ao Facebook que a rede social lhe encaminhasse um relatório com todos os dados que eles dispusessem sobre o seu perfil.

Após esperar por algumas semanas, Schrems teve uma surpresa ao abrir um CD com todos os dados armazenados. No total, havia 1.222 páginas de arquivos em PDF com dados sobre a sua movimentação na rede social.

Com 234 amigos, Max teve acesso a todas as datas de login e logout em sua conta, quantidade e conteúdo de mensagens enviadas e recebidas e um relatório com todas as vezes que cutucou ou foi cutucado, foi citado por amigos ou interagiu com qualquer item do Facebook.

O arquivo recebido pelo jovem listou ainda dados dos amigos com quem ele interagiu, como localização por GPS no caso de fotos taggeadas ou check-ins. Além disso, mesmo as postagens ou informações que ele havia apagado constavam entre os arquivos.

Embora sejam confidenciais, é sabido que a empresa utiliza as estatísticas de acesso de forma que possa cruzar os seus dados e oferecer anúncios segmentados de acordo com o perfil de cada pessoa.

Entretanto, vale lembrar que todas as informações apresentadas foram publicamente compartilhadas pelo estudante, mostrando que essa análise de dados de fato pode ser feita, mas apenas se você se dispuser a abastecer a rede social com informações.

A solicitação de um relatório de dados junto ao Facebook é um direito de todos os cidadão europeus, já que há uma leis específica que obriga as redes sociais a entregarem esses dados ao solicitante. Como a rede de Mark Zuckerberg conta com uma sede em Dublin, na Irlanda, a legislação pode ser aplicada.

Cupons de desconto TecMundo: