Charge postada no site do WikiLeaks (Fonte da imagem: Reprodução/WikiLeaks)

Atualmente, o nome de Edward Snowden é o mais citado em discussões acerca da espionagem digital realizada pelo governo dos Estados Unidos. Não poderia ser diferente, afinal de contas foi ele quem revelou para o mundo os segredos da NSA (Agência Nacional de Segurança dos EUA), mostrando que as espionagens norte-americanas estavam indo muito além dos limites que eram esperados pelos governos de todo o mundo.

Hoje, novos documentos dele foram vazados e mostram que ainda deve haver muito o que ser revelado acerca da espionagem dos Estados Unidos. Segundo documentos publicados pelo The Intercept, os governos dos Estados Unidos e da Inglaterra estariam juntos na vigilância de computadores que acessavam as páginas do WikiLeaks — a maior central online de vazamentos governamentais do mundo.

Isso significa que não eram apenas os computadores que enviavam os dados para o WikiLeaks que estavam sendo vigiados, mas também os dos visitantes. Ou seja, quem acessou as páginas do sistema também poderiam ter seus IPs rastreados pelos agentes da NSA, tendo rapidamente uma série de informações capturadas para a análise da agência de segurança.

Em uma carta divulgada no próprio WikiLeaks, Julian Assange afirma que as ações na NSA são “imprudentes e ilegais”. Ele diz que o WikiLeaks condena o comportamento da NSA, pedindo para que a administração de Barack Obama tome atitutes para investigar a extensão das atividades da NSA, incluindo as “atividades criminosas contra a mídia, incluindo o WikiLeaks e sua rede”.

Cupons de desconto TecMundo: