(Fonte da imagem: Reprodução/Your Life Solution)

O cocriador da plataforma de navegação WWW, Tim Berners-Lee, criticou algumas das características que a internet que ele ajudou a criar recebeu nos últimos tempos. Ele fez o discurso durante a apresentação do relatório anual da World Wide Web Foundation, que monitora impactos sociais e políticos de diversos países.

Lee focou no que ele chama de "onda crescente de monitoramento e censura": segundo o documento, 94% dos países visitados não monitoram corretamente a internet local para saber se ela é ou não interceptada ou espionada pelo próprio governo. Já 30% bloqueiam ou filtram conteúdos políticos de acordo com princípios ideológicos.

"Uma das descobertas mais encorajadoras deste ano é como a rede e as mídias sociais estão aumentando o número de pessoas que se organizam, tomam a iniciativa de ações e tentam expor os malfeitores em todas as regiões do mundo. Mas alguns governos sentem-se ameaçados por isso, e uma onda crescente de vigilância e censura agora ameaça o futuro da democracia", conclui Lee.

Em preto, países que cometem censura. Em azul, nações com proteções insuficientes contra espionagem governamental. Em laranja, quem se encaixa em ambas as alternativas.
(Fonte da imagem: Reprodução/BBC)

A conclusão do relatório e do programador é de que é necessário revisar esses métodos de bloqueio de conteúdo e acabar com a espionagem governamental, respeitando a privacidade e as liberdades de opinião e associação online da população.

Cupons de desconto TecMundo: