Um dos quatro motores que fazem parte da máquina de processamento do metano em energia.

Fonte da imagem: Popsci

A Huishan Dairy quer mudar o panorama de emissão de gases poluentes emitidos com o crescimento das indústrias de laticínios chinesas. Para isso, a empresa construiu o maior sistema do mundo de produção de eletricidade através do processamento de estrume das vacas.

O sistema da Huishan tem como objetivo prevenir que o metano – gás 23 vezes mais potente na manutenção do efeito estufa do que o dióxido de carbono – presente no excremento das vacas chegue até a atmosfera. A máquina transforma o estrume por meio de um processo anaeróbico, reaproveitando os materiais da melhor forma possível.

Primeiramente, o processo quebra o excremento em gás, que a seguir é exposto com óxido de ferro em um processo chamado hidrodesulfurização, removendo o corrosivo sulfídrico de hidrogênio. Dessa forma, o gás pode ser queimado e produzir energia, através da máquina com motores GE, já usados na Índia e na Áustria.

Assim, a Hushian Dairy produz cerca de 5,6 megawatts de energia com o estrume de 60 mil vacas, o suficiente para abastecer cerca de 3.500 casas de grande porte, ou cerca de23 mil casas menores brasileiras.  O projeto pode diminuir a emissão de carbono em mais de 180 mil toneladas, o que significaria um menor impacto no meio ambiente.

A máquina pode também ser usada nos Estados Unidos, onde a conversão de metano gera apenas 2 megawatts de energia e só é usada em cerca de 1% das fazendas que produzem laticínios. Além de diminuir o impacto do metano na atmosfera, o processo também gera cerca de 620 toneladas de fertilizantes, que podem ser vendidos ou reutilizados em pastos.

Cupons de desconto TecMundo: