(Fonte da imagem: Tim Sloan/AFP/Getty Images)

Um dos homens mais ricos do planeta quer desenvolver um novo tipo de reator nuclear, e está em discussões com a China para fazer uma parceria. Bill Gates diz que o custo para produzi-lo será pequeno e que o reator será muito seguro, além de utilizar pouco material para funcionar.

Gates é presidente e investidor de uma startup de energia chamada TerraPower, que completou recentemente um projeto de reator que pode funcionar com urânio empobrecido sem reabastecimento durante décadas. Esse material é, atualmente, um subproduto formado por resíduos do processo de enriquecimento.

Energia movida a restos

O urânio é utilizado para abastecer todos os reatores nucleares do mundo. Mas para isso, ele precisa ser enriquecido. Nesse processo, um resíduo acaba sendo descartado, que é conhecido como urânio empobrecido.

A ideia de Gates é usar esse material para abastecer o novo tipo de reator que eles estão desenvolvendo. Segundo o site do projeto, o próprio reator do TerraPower converterá o urânio empobrecido em combustível.

Como resultado essa fonte de combustível barata, mas rica em energia, será uma fonte de eletricidade  usada a nível mundial que é, para todos os efeitos práticos, inesgotável. Grandes quantidades de urânio empobrecido, inútil para os reatores de hoje, estão estocadas no mundo todo.

Bill Gates procurou a China para sediar o reator, pois as regras atuais dos EUA não cobrem o tipo de tecnologia que o TerraPower pretende usar. Mas segundo ele, as negociações com os líderes do país ainda estão em estágios iniciais.

Cupons de desconto TecMundo: