(Fonte da imagem: Solar Century)

Começou na última quarta-feira (5 de outubro) em Londres a atualização da Blackfriars Railway Bridge, em um projeto que deve resultar na maior ponte coberta com painéis solares do mundo. Ao fim do projeto, serão instalados mais de 4400 células fotovoltaicas, abrangendo uma área de 6 mil metros quadrados e responsável por gerar 900 mil quilowatts-hora de energia por ano.

A eletricidade gerada pelos painéis solares pretende diminuir em 50% os custos com a energia gastas durante a operação da ponte. A atualização da construção, inaugurada em 1886, também deve representar uma diminuição no nível de poluição de Londres  – ao todo, 500 toneladas de carbono deixarão de ser enviadas para a atmosfera com a redução nos gastos elétricos do local.

Uso inteligente da eletricidade

O projeto está sendo desenvolvido pela companhia Solar Century, que vai instalar na ponte 100 painéis solares desenvolvidos pela Sanyo, com custo aproximado de US$ 11 milhões. A expectativa é que o trabalho seja finalizado em algum momento do inverno de 2012, criando um grande contraste com a imagem atual da Blackfriars.

Além dos equipamentos necessários para captar a luz do sol e transformá-la em eletricidade, a ponte será equipada com sistemas responsáveis por coletar e reaproveitar a água da chuva. Também serão instalados no local tubos especiais responsáveis por melhorar a iluminação natural, responsáveis por aumentar ainda mais a economia de energia da estação.