Não são poucas as soluções para quem deseja deixar a carteira em casa e sair às compras com o mínimo possível no bolso: serviços como Apple Pay, Samsung Pay e pagamentos via NFC estão cada vez mais populares, enquanto empresas como o NuBank revolucionam e até incomodam bancos e empresas tradicionais de cartões de crédito.

Também opera no mercado brasileiro hoje um aplicativo que simplifica operações financeiras de diversos valores, seja para "rachar" a conta do bar, pagar dívidas com conhecidos ou para serviços prestados. É o PicPay, um aplicativo 100% gratuito que pode convencer você a abraçar de vez os bancos virtuais e as transferências financeiras feitas pelo smartphone.

"A ideia do PicPay nasceu no início de 2012, quando percebemos que o mundo estava em um caminho sem volta de convergência para os smartphones", explica um dos sócios do app, o Anderson Chamon.

Simplificando tudo

Tudo o que você precisa fazer é baixar o PicPay e confirmar o cadastro. As pessoas de quem você vai receber ou para quem vai transferir dinheiro também precisam de uma conta no serviço. A sua conta pode ser "carregada" com um valor debitado direto do seu cartão de crédito. Enviar dinheiro para seus amigos é muito fácil: toque em "Pagar pessoas", escolha o contato, digite o valor e confirme a operação com a senha.

Se você receber dinheiro por lá, dá para usá-lo para enviar a outras pessoas, gastar em estabelecimentos credenciados ou transferir para a sua própria conta bancária. A página principal do app no seu tablet ou smartphone é um histórico de transações que mostra quanto você enviou ou ganhou de outras pessoas.

"O mais legal é que PicPay abre novas possibilidades que antes eram inacessíveis à maioria das pessoas. Podemos fazer pequenos pagamentos entre amigos usando o próprio cartão de crédito. Essa não era um opção comum, cartão de crédito sempre foi focado em transações comerciais", explica Anderson.

Eu pago alguma coisa?

O site da PicPay deixa claro que o uso do app é 100% gratuito quando usado para fins não comerciais — e esse talvez seja um dos maiores trunfos do serviço. Isso significa que qualquer usuário cadastrado pode enviar, receber ou sacar dinheiro do PicPay sem qualquer custo. O valor passado da sua conta para a carteira virtual e dela para outro usuário é mantido integralmente.

Quem deseja utilizá-lo de forma comercial, para receber pagamentos referentes à venda de produtos ou serviços, paga uma taxa de 4,89%. Porém, essa é a única cobrança. Os valores são liberados na hora, diferente das máquinas de cartão de crédito, em que algumas operações podem levar até um mês.

E tem mais vantagens em apostar no aplicativo. Em uso comercial, o PicPay pode até substituir outro produto que também é moderno: as maquininhas de cartão.

Dá para confiar?

Sabendo que a desconfiança do consumidor com um serviço mobile assim existe, a PicPay se preocupa em colocar segurança como prioridade. Atualmente, a empresa conta com diferentes certificações internacionais de segurança da informação, com nível de proteção equivalente ao de instituições bancarias. Além disso, a ideia de “aposentar a carteira” não é só pela comodidade, mas até por conta de proteção — e isso é mais que garantido pelos meios digitais. “A primeira grande vantagem é a segurança maior de não andar com dinheiro em espécie”, complementa Chamon.

Download:

Você confia em bancos e apps financeiros que funcionam pelo celular? Comente no Fórum do TecMundo