Huawei tentou dar uma de espertinha e foi pega usando seus smartphones de maneira otimizada para realizar testes de benchmark e os aparelhos pontuarem melhor do que realmente vão funcionar nas mãos dos consumidores. A ação pegou mal após ter sido revelada pela publicação AnandTech e agora a empresa chinesa está tentando passar um pano no filme queimado.

O escândalo aconteceu com os smartphones P20, P20 Pro, Nova 3 e Honor Play, todos da Huawei, que foram programados para apresentar um desempenho acima do normal

Justamente por essa “mancada” dada com os consumidores, a Huawei vai permitir que os usuários de seus dispositivos acessem um “modo performance”, que vai otimizar seus smartphones fazendo-os funcionar com maior velocidade de processamento e com um desempenho melhor, mas gastando mais da energia da bateria do aparelho. Isso vai ser permitido em dispositivos com sistema operacional EMUI 9.0, que é uma versão futura do OS da Huawei.

Funcionando acima do esperado

O escândalo aconteceu com os smartphones P20, P20 Pro, Nova 3 e Honor Play, todos da Huawei, que foram programados para apresentar um desempenho acima do normal quando testados com o programa da 3DMark, que, ao descobrir a tramoia, removeu os dispositivos de suas listas. Outros testes mostravam o desempenho real dos aparelhos.

A medida tomada pela Huawei não necessariamente corrige o feito, visto que os aparelhos vão funcionar para os usuários como no teste realizado, acima do normal, mas com um gasto muito maior de bateria, o que também na ajuda muito. A medida também serve para que a 3DMark, conforme prometido, coloque os smartphones da Huawei de volta em suas listas de performance.