Estamos provavelmente prestes a ver os primeiros smartphones com tela dobrável a ganharem o mercado principal de portáteis no mundo, mas uma universidade canadense acaba de apresentar uma inusitada novidade: um tablet com tela “enrolável”. Pois é, o dispositivo em questão é o MagicScroll, desenvolvido pelo Human Media Lab da Queen’s University, do Canadá.

A tela de 7,5 polegadas tem uma característica bem interessante que é justamente poder ser enrolada na base do aparelho, tal qual canetas com calendários enroláveis e embutidos vendidas em papelarias em diversas partes do Brasil. O display tem resolução 2K e fica totalmente enrolado em torno do corpo cilíndrico do tablet, que foi impresso em 3D.

“Nos inspiramos no design de pergaminhos antigos porque o seu formato permite uma experiência mais natural e ininterrupta para linhas do tempo visualmente alongadas”, comentou o doutor Roel Vertegaal, um dos responsáveis pelo projeto. Os antigos rolodex, uma espécie de fichário compacto de forma circular no qual se acoplam inúmeros cartões.

O tablet conta botões giratórios nas laterais e por meio deles é possível deslizar o conteúdo exibido na tela sem que ela precise ser tocada ou aberta. Você gira e o conteúdo se move pela tela, algo semelhante ao botão de rolagem de um mouse. O MagicScroll tem, ainda, sensores capazes de identificar os movimentos feitos pelo usuário, uma mecânica semelhante à do controle do Nintendo Wi.

E a ideia dos pesquisadores não é parar por aí. Segundo Vertegaal, a intenção é evoluir o tablet até que ele possa ser enrolado em torno de algo cujo tamanho seja semelhante ao de uma caneta. O objetivo maior, entretanto, é estudar mais conceitos em torno das possibilidades de telas do futuro.

“Amplamente”, comenta o professor, “o projeto MagicScroll nos permite examinar de forma aprofundada as noções como ‘as telas não precisam ser planas’ e ‘tudo pode se tornar uma tela’.”