Parece que a afirmação de que o Face ID, o sistema de reconhecimento facial do novo iPhone X, é extremamente seguro e só apresenta falhas uma a cada 1 milhão de usos pode ser um pouco exagerada. Alguns testes têm mostrado que a coisa não funciona bem assim. Primeiramente, foram os testes com gêmeos idênticos. Neles, o iPhone X falhou em discernir entre as pessoas, mas até aí a gente até releva.

A própria Apple recomenda ao usuário desabilitar o sistema de reconhecimento facial

O que aconteceu agora foi um pouco mais grave: uma mulher descobriu que seu iPhone X pode ser destravado sem nenhum problema por seu próprio filho de 13 anos. É claro que os dois se parecem por serem parentes tão próximos, mas confundir uma mulher de meia idade com um adolescente, mesmo que sejam parecidos, é uma decepção para quem apostava tanto nesse sistema de segurança.

Se for parecido com alguém, não use

É sabido que a probabilidade de um falso positivo no Face ID aumenta bastante no caso de parentes, principalmente irmãos e mais ainda quando comparamos gêmeos idênticos. A própria Apple recomenda ao usuário desabilitar o sistema de reconhecimento facial caso ele ache que corra o risco de um irmão ou parente parecido acessar suas informações pessoais no iPhone X.

Confira no vídeo a seguir como o dispositivo da Apple é enganado pelos rostos parecidos de mãe e filho:

Cupons de desconto TecMundo: