Tribunais russos proíbem Death Note e outros animes 'violentos'

1 min de leitura
Imagem de: Tribunais russos proíbem Death Note e outros animes 'violentos'
Imagem: MadHouse
Avatar do autor

A Rússia parece estar iniciando um “index” de séries proibidas, que tem aumentado constantemente, à medida que os promotores do país entendem que os adolescentes podem recriar na vida real os atos violentos assistidos na telinha. Hoje (21) foi anunciada a proibição de três franquias de animes: Death Note, Tokyo Ghoul e Inuyashiki.

Em dezembro passado, nada menos do que 49 sites foram processados no país por transmitirem animes, assim definidos por um tribunal de São Petersburgo ao jornal The Moscow Times: “Cada episódio contém crueldade, assassinato, violência". Os promotores já haviam pedido anteriormente a proibição de Naruto , Elfen Lied e Interspecies Reviewers.

Fonte: MadHouse/DivulgaçãoFonte: MadHouse/DivulgaçãoFonte:  MadHouse 

As análises da agência de censura

O Tribunal Distrital de Kolpinsky determinou ontem (20) a suspensão de Death Note e Inuyashiki de dois sites no país, enquanto Tokyo Ghoul foi banida de um site. A agência estatal de notícias RIA Novosti esclareceu que as proibições na internet são restritas apenas aos endereços informados.

Apesar de serem específicas para determinados sites, as proibições dos animes estão sendo estudadas caso a caso pela agência de censura Roskomnadzor, com vistas a estender o bloqueio das séries para todo o país. Há uma campanha de pais russos pela proibição de Death Note desde 2013, depois do suicídio de uma adolescente que colecionava mangás da saga.

Na época, a mídia de São Petersburgo reforçou a ideia de que, além de ser uma fã de Death Note, a adolescente se matou pulando de uma janela, vestida com uma camisa branca e gravata vermelha, a roupa preferida de Light Yagami, o protagonista da franquia.

Tribunais russos proíbem Death Note e outros animes 'violentos'