Macaulay Culkin apoia excluir Trump de Esqueceram de Mim 2

1 min de leitura
Imagem de: Macaulay Culkin apoia excluir Trump de Esqueceram de Mim 2
Imagem: IMDb/Reprodução
Avatar do autor

Macaulay Culkin recentemente se manifestou sobre a “campanha” de fãs do filme Esqueceram de Mim 2: Perdido em Nova York, ao concordar com ideia de excluir a participação de Donald Trump do longa de 1992. No Twitter, o ator mostrou apoio a usuários que pedem por essa edição, ao responder em tom de aprovação um comentário sobre a remoção e ao dizer estar convencido, em outra publicação, com uma montagem de substituição do presidente dos EUA.

Sobre o contexto da cena com Trump, em determinado momento do filme o personagem de Culkin pergunta informações de localização para ele dentro do Plaza Hotel, local em que é proprietário. Em relação a essa participação especial, Chris Columbus, diretor do longa, relembrou no ano passado que o então executivo permitiu que a produção gravasse no estabelecimento apenas se ele ganhasse uma aparição.

O diretor concordou e revelou que quando começaram essas filmagens, as pessoas aplaudiram quando Trump apareceu, por este já ser uma figura muito conhecida. “Então eu disse ao meu editor: ‘Deixe-o no filme. É um momento para o público’”, contou ao Insider.

Apesar de falar que a cena deveria permanecer — por ser um motivo de discussão que leva pessoas a assistirem ao filme —, até o momento ele não se pronunciou novamente sobre o caso, tendo em vista os acontecimentos recentes envolvendo o presidente dos EUA.

Em 2019, a CBC, canal de televisão do Canadá, afirmou remover a aparição de Trump em transmissões no país durante muitos anos, antes de ele ser eleito presidente, algo notado inclusive por ele. No entanto, informaram que a decisão não foi resultado de questões políticas, mas sim devido problemas de horário e cronograma.

Na época da declaração, a alteração foi notada por Trump e gerou um texto no Twitter: “Acho que Justin [Trudeau, primeiro-ministro do Canadá] não gosta muito que eu o faça pagar pela Organização do Tratado do Atlântico Norte e por taxas de comércio. O filme nunca mais será o mesmo!”.