Borat 2: confira os momentos mais polêmicos do filme

2 min de leitura
Imagem de: Borat 2: confira os momentos mais polêmicos do filme
Imagem: IMDb/Reprodução
Avatar do autor

Atenção! Este texto contém spoilers de Borat: Fita de Cinema Seguinte.

Borat: Fita de Cinema Seguinte chegou ao catálogo do Amazon Prime Video na última sexta-feira (23) e trouxe de volta o polêmico repórter interpretado por Sacha Baron Cohen. A sequência, lançada 14 anos após o filme original, segue o mesmo espírito e mostra o pior da cultura americana.

Na trama, após passar anos em uma prisão no Cazaquistão, Borat é escolhido para entregar um macaco de presente para o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, a fim de tentar reatar a amizade entre os dois países. Porém, no caminho, ele acaba se vendo obrigado a dar sua própria filha, Tutar (Maria Bakalova), de presente, enquanto revela o lado não tão bonito dos EUA.

Tratando de negacionismo científico, xenofobia, aborto e pedofilia, Cohen usa o humor para apresentar situações absurdas e revelar como as pessoas reagem a elas. Abaixo, apresentamos alguns dos momentos mais polêmicos do filme.

Mexicanos enjaulados

Borat comprando uma jaula para colocar sua filhaBorat comprando uma jaula para colocar sua filhaFonte:  Amazon Prime Video/Divulgação 

Enquanto tenta levar Tutar para Pence, Borat decide comprar uma jaula para colocar a filha durante a viagem. Ao chegar em uma loja, ele faz uma referência às crianças mexicanas que são afastadas da família no processo de deportação. A reação do lojista é apenas uma risada, concordando com a situação.

Vestido de KKK no CPAC

Durante um momento do filme, Borat diz que precisa se aproximar de Pence, mas não deve chamar a atenção das pessoas. Para conseguir isso, ele decide ir à Conferência da União Conservadora Americana (CPAC) usando uma roupa da KKK.

A cena do 'aborto'

Um dos momentos mais polêmicos do filme é quando Tutar engole um boneco em formato de criança e vai até um centro de saúde da mulher para pedir para retirá-lo de dentro dela. A sequência é construída para parecer que ela quer fazer um aborto; porém, o médico se recusa, mesmo com ela falando que só tem 15 anos e não quer sentir dor, ou quando Borat informa que foi ele mesmo quem colocou a criança dentro da filha.

Missão Suicida de Borat

Em outro momento bastante delicado (e extremamente antissemita), Borat decide se matar e vai até uma sinagoga para “aguardar o próximo tiroteio em massa”. Porém, diferente do acontece no resto do filme, no caso dessa cena Cohen conversou antes com Judith Dim Evans, uma sobrevivente do Holocausto, e explicou sua intenção com o filme para fazer a piada.

A 'Marcha pelos Nossos Direitos'

No meio da pandemia, cantando com negacionistasNo meio da pandemia, cantando com negacionistasFonte:  IMDb/Reprodução 

Após ter se desentendido com a filha, que foge para se tornar uma jornalista, Borat participa de um comício de direita, com pessoas que não acreditam nos perigos do novo coronavírus. Disfarçado, ele canta com a multidão — onde ninguém está usando máscara — sobre injetar "gripe de Wuhan no ex-presidente Obama" e cortar jornalistas "como os sauditas fazem".

Rudy Giuliani “se tocando”

Em um dos momentos finais do filme, o ex-prefeito de Nova York — e atual conselheiro e advogado de Donald Trump —, Rudy Giuliani, é entrevistado por Tutar, que finge trabalhar em um canal conservador. Após a conversa, os dois vão para um quarto de hotel, e Giuliani aparece colocando a mão dentro das calças na companhia de Tutar. A sequência é interrompida com Borat aparecendo no quarto enquanto grita: "Ela tem 15 anos! É muito velha para você!" (Bakalova tem 24 anos).

Imagem: Teste Grátis o Amazon Prime
Imagem: Tecmundo Recomenda

Teste Grátis o Amazon Prime

Frete grátis, centenas de livros no Prime Reading, ótimas séries Prime Video, muita música no Prime Music e muito mais! Assine Amazon Prime e comece já a aproveitar!

Fontes

Borat 2: confira os momentos mais polêmicos do filme