She-Hulk: atriz de Brooklyn Nine-Nine 'morreria pelo papel'

1 min de leitura
Imagem de: She-Hulk: atriz de Brooklyn Nine-Nine 'morreria pelo papel'
Avatar do autor

Durante uma entrevista para o Entertainment Tonight, Stephanie Beatriz disse que "morreria" pelo papel de She-Hulk. A atriz, conhecida por interpretar Rosa Diaz em Brooklyn Nine-Nine, comentou que já começou a se exercitar mais para ter uma chance de conseguir ser a protagonista da série do Disney+.

"Eu morreria para conseguir esse papel. Isso seria tão satisfatório. Esse é um dos melhores personagens desse universo. Definitivamente, melhorei meus treinos desde que li algumas coisas sobre isso. Mas também [acho que seria] interessante, para os fãs, ver alguns desses personagens que achamos serem de um jeito na realidade serem imaginados de outras formas", explicou a Beatriz.

Stephanie Beatriz em Brooklyn Nine-Nine (Fonte: IMDb/Reprodução)
Stephanie Beatriz em "Brooklyn Nine-Nine". (Fonte: IMDb/Reprodução)

She-Hulk

A heroína foi criada em 1980 pelo roteirista Stan Lee e pelo ilustrador John Buscema. Ela é o alter ego de Jennifer Walters, prima de Bruce Banner, e trabalha como advogada. Inicialmente, ela foi concebida como uma versão feminina do Hulk, mas com o tempo passou a receber detalhes próprios, como a capacidade de manter sua personalidade depois da transformação.

Ela já fez parte de grupos importantes nas histórias da Marvel, como Vingadores, Quarteto Fantástico e Os Defensores. Também foi a líder da Força-V, um grupo de super-heroínas que pode ganhar uma série ou até mesmo um filme no MCU.

She-Hulk não tem data para estrear, mas será exclusiva do Disney+. A plataforma de streaming será lançada em 12 de novembro nos Estados Unidos, Países Baixos e no Canadá. Na semana seguinte, chegará à Austrália e Nova Zelândia. Já nos países da América Latina a previsão é que o serviço comece a funcionar no segundo semestre de 2020, porém sem data definida.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
She-Hulk: atriz de Brooklyn Nine-Nine 'morreria pelo papel'