Crise na Ancine: filmes e séries brasileiras estão paralisadas

1 min de leitura
Imagem de: Crise na Ancine: filmes e séries brasileiras estão paralisadas
Avatar do autor

Equipe TecMundo

via nexperts

A produção audiovisual brasileira passa por um momento complicado. Diversos projetos de filmes e séries estão completamente parados ou então seriamente comprometidos por falta de recursos. Normalmente, a FSA (Fundo Setorial do Audiovisual) libera verba logo no início do ano. Para 2019, ainda não foi lançado nenhum edital para captação de recursos e nem há previsão para que isso aconteça.

Quais os problemas que a Ancine enfrenta?

Mesmo com a garantia de que a Ancine não vai ser extinta e com um diálogo mais aberto entre a agência e o governo, o futuro ainda permanece indefinido. Além disso, há a mudança da sua diretoria do Rio de Janeiro para Brasília. Todo esse cenário contribui para a paralisação na liberação dos recursos, o que ameaça tanto as produções que estavam em andamento, quanto novos projetos.

O premiado Que Horas Ela Volta? foi feito com o apoio da Ancine (Fonte: IMDb/Reprodução)

A falta de investimento não afeta só o lançamento de produções nacionais, como também cerca de 300 mil empregos diretos e indiretos. A Buriti Filmes, por exemplo, encolheu 30% nos últimos meses, o que causou a demissão de alguns funcionários.

Outro problema que a Ancine enfrentou em 2019 foi com as irregularidades encontradas pelo TCU (Tribunal de Contas da União). O órgão deu um prazo para que a agência encontrasse outra forma de fiscalizar as finanças e congelou a liberação de verbas até que uma solução fosse apresentada. Apesar de a Ancine ter divulgado em maio que tudo estava de volta a normalidade, muitas produções que já tinham sido contempladas ainda não receberam o pagamento.

Em entrevista para o UOL Entretenimento, Rodrigo Teixeira (RT Features) - que participou de uma reunião com o Ministro da Cidadania, chefe da Secom e outros produtores - afirmou que o governo sabe da importância do audiovisual para a economia e geração de empregos. Contudo, ele também declara que o problema não é só financeiro e que o setor tem como maior desafio impedir que os conteúdos sofram interferências.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Crise na Ancine: filmes e séries brasileiras estão paralisadas