Depois de loot boxes terem virado o centro de uma polêmica enorme, com vários países na Europa mudando leis para evitar que elas fizessem parte de novos games. Agora, uma nova proposta de lei dentro dos Estados Unidos pode mudar de vez a forma como produtoras planejam os games, já que ela pretende tornar ilegal a presença de loot boxes em jogos de videogame.

O senador republicano Josh Hawley anunciou planos para uma nova proposta de lei para regular ou banir de vez loot boxes em jogos que são vendidos para menores de idade. Apesar de ainda não ter sido apresentada oficialmente ao Senado americano, a ideia é tentar proteger os menores do que o senador chama de "práticas predatórias em videogames, com funções manipulativas em jogos online. Isso incluiria também itens que tornam os títulos "pay to win", ajudando o avanço dos jogadores em um game.

Imagem: Reprodução/EGMNow

O projeto, ainda não revelado na íntegra, ainda parece um tanto nebuloso e que pode abrir brechas para abuso do governo na hora de classificar esses títulos. O senador já é conhecido por tentar regular empresas de tecnologia, indo atrás do Facebook ainda em março desse ano.

Logo depois de ele mostrar interesse em jogos de videogame, algo que não havia feito antes, um grupo de lobby chamado Entertainment Software Association, feito por várias empresas da indústria de games, divulgou um comunicado oficial sobre o assunto:

"Vários países, incluindo Irlanda, Alemanha, Suécia, Dinamarca, Austrália, Nova Zelândia e o Reino Unido determinaram que loot boxes não podem ser consideradas como jogos de azar. Nós estamos dispostos a compartilhar com o senador ferramentas e informações que a indústria já divulga para deixar o controle do que é gasto dentro de games nas mãos dos pais. Pais já têm a habilidade de limitar ou proibir gastos com facilidade dentro desses títulos".

O projeto de lei deve ser apresentado na próxima semana ao Senado americano.

Senador americano pretende tornar ilegal a prática de jogos com loot boxes via Voxel

Cupons de desconto TecMundo: