Empresa dona de produto erótico diz que gravações indevidas eram um bug

1 min de leitura
Imagem de: Empresa dona de produto erótico diz que gravações indevidas eram um bug
Avatar do autor

Ser espionado deve ser um negócio chato pra caramba, agora imagine se isso acontece em um momento íntimo. Foi o que aconteceu com algumas pessoas que usaram o aplicativo Lovense Remote, usado para controlar um vibrador de forma remota – mas que também gravava, de forma escondida, um áudio de tudo que rolava.

As acusações começaram a aparecer no Reddit e revelaram que o aplicativo da Lovense, uma empresa baseada em Hong Kong, não restringia o uso do microfone à função de chat inserida no app, mas para fazer gravações constantes enquanto estivesse em uso – algo que foi confirmado e reforçado por outras pessoas.

Um suposto representante da Lovense participou da conversa e afirmou que tudo se trata de um pequeno bug que só afeta usuários do Android e que nenhum dado coletado é transferido para os servidores da empresa. Além disso, ele diz que o áudio é temporário e que tudo deve ser corrigido com uma atualização que deverá ser disponibilizada em breve.

Não é a primeira vez que a algo desse tipo acontece no mercado adulto. No ano passado, clientes processaram We-Vibe depois que descobriram que o vibrador We-Vibe coletava e gravava informações pessoais dos usuários. Talvez isso seja um indicativo de que, quando se tratar de momentos íntimos, o melhor é manter tudo offline se você quiser preservar sua privacidade.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Empresa dona de produto erótico diz que gravações indevidas eram um bug