O temido e quase onipresente Gemidão fez mais uma vítima, e dessa vez o caso é bastante grave. Isso porque o motoboy de uma farmácia de Natal, no Rio Grande do Norte, foi demitido por justa causa após cair na pegadinha em seu local de trabalho. A empresa alegou que o funcionário demonstrou “maus hábitos” ao reproduzir o conteúdo embaraçoso.

Até mesmo uma possível saída de clientes da loja sem efetuar qualquer compra graças ao constrangimento gerado pelo vídeo foi utilizada pela farmácia como justificativa para demitir o entregador. Depois disso, o caso foi parar na Justiça do Trabalho potiguar e, felizmente, a demissão por justa causa foi revertida.

Na Justiça, o trabalhador conseguiu reverter a demissão por justa causa e pôde usufruir de seus direitos trabalhistas

A juíza do trabalho Isaura Maria Barbalho Simonetti acatou a alegação do trabalhador de que ele estava em horário livre e que a brincadeira se trata de algo comum no app de mensagens. Para ela, é inegável que o funcionário assistiu a um vídeo pornográfico, mas não fica comprovada a intenção em causar constrangimento. Além disso, a farmácia também não teria provas suficientes para alegar prejuízo financeiro devido ao evento.

Graças à decisão, o motoboy obteve acesso a benefícios como seguro-desemprego e saque do FGTS, algo possível apenas para quem é demitido sem justa causa. Apesar disso, a Justiça não determinou pagamento de indenização por danos morais por parte da empresa, conforme havia solicitado o trabalhador.

Cupons de desconto TecMundo: