Se você costuma procurar jogos que prometem aprimorar as suas funções cerebrais para instalar no celular, provavelmente já se deparou com o Lumosity. O game se apresenta como um “treinamento para o cérebro” a fim de melhorar o seu sistema cognitivo e conta com mais de 10 milhões de downloads apenas na Play Store, o que deixa claro o seu alcance.

Mas será que ele realmente é capaz de ajudar o seu cérebro a se desenvolver? Um estudo publicado no semanário científico Journal of Neuroscience sugere que não. Um dos sistemas em que o game é baseado se chama atraso de desconto e trata de escolhas entre uma recompensa menor de forma imediata ou uma recompensa maior, mas demorada.

O outro sistema no qual Lumosity também se baseia é o de sensibilidade de risco, em que o jogador escolhe entre recompensas confiáveis ou mais arriscadas. Assim, como há uma ideia de que a escolha por recompensas mais arriscadas e imediatistas estão associadas a comportamentos negativos (como fumar, beber ou se alimentar mal), este e outros jogos prometem fortalecer esses circuitos cerebrais e, com isso, ajudar você a resolver certos problemas.

Lumosity garante trabalhar com a comunidade científica para atestar o funcionamento de suas técnicas de aprimoramento cerebral.

Segundo os cientistas da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, é exatamente nesta promessa que reside o problema. Isso porque a neurociência ainda não tem uma conclusão exata sobre quais circuitos cerebrais especificamente estão associados a determinados comportamentos. Assim, os games podem até trazer algum benefício cerebral, mas é incerto afirmar exatamente qual tipo de comportamento ele vai aprimorar a partir disso.

O estudo

A pesquisa conduzida pelos cientistas consistiu em selecionar 128 pessoas e dividi-las em dois grupos. Durante 10 semanas, um dos grupos foi treinado com o Lumosity e outro passou o tempo jogando video game. Antes e depois deste período, todos os participantes foram submetidos ao mesmo teste cognitivo.

Para a surpresa dos pesquisadores, os resultados do teste final de ambos apresentaram melhorias em relação à prova inicial. Em suma, o efeito de qualquer jogo eletrônico no desenvolvimento cognitivo não é menor do que o de um game criado especificamente para isso, concluiu o estudo.

Assim, jogar muito um determinado jogo vai tornar você cada vez melhor neste game em específico, mas não há uma relação de causa e efeito entre ser melhor no Lumosity (ou no FIFA 17) e ter notas melhores na escola ou diminuir com a bebida, por exemplo.

Controvérsias

Apesar de apontar um caminho, o estudo não deixa tudo totalmente claro. Isso porque o grupo pesquisado apresentava características saudáveis e, por isso, o próprio professor responsável pela pesquisa, Joseph Kable, sugere que essas pessoas talvez não tivessem de fato muito espaço para aprimoramentos — apesar de ambos os grupos pesquisados terem apresentado melhoras depois de 10 semanas.

Dessa maneira, é possível sugerir que os tais games de treinamento cerebral possam ter resultados específicos em pessoas (e grupos) com características específicas, mas talvez eles não ajam exatamente da forma como prometem. Além disso, tanto Lumosity quanto outros “jogos cerebrais” podem ser bastante divertidos, então, gastar algumas horas com eles pode não deixar o seu cérebro mais forte do jeito que você espera, mas também não causará qualquer prejuízo.

Cupons de desconto TecMundo: