Um carro que dirija sozinho é um sonho de consumo dos humanos há décadas, e já está se tornando realidade. Mas as pessoas raramente pensam no que fazer enquanto suas mãos não estarão mais no volante. Cruzar os braços? O designer Michael Harboun, em parceria com a Dessault Systems, desenvolveu o Aeon, um carro-conceito que dirige sozinho e ainda oferece diversas opções de entretenimento para quem está dentro, com a possibilidade do uso de realidade aumentada e virtual.

Painel futurista do protótipo (Fonte da imagem: Michael Harboun)

O conceito transforma o vidro frontal do carro em uma grande tela, e um menu controla a direção do carro, os aplicativos, e até as posições da poltrona. A ideia mais bacana desse conceito é o uso de aplicativos com realidade aumentada. Em uma versão futurista do Google Maps, por exemplo, o carro interagiria com o ambiente para fornecer informações.

E mais: lojas virtuais, previsão do tempo, notícias, filmes, tudo estaria a um toque de distância para você aproveitar o tempo entre origem e destino. A ideia desse modelo é que diversos aplicativos sejam desenvolvidos para o carro, oferecendo uma gama diversa de opções para seu automóvel. 

Para os turistas, institutos culturais de cidades poderiam criar aplicativos com realidade aumentada que apresentem a história dos pontos turísticos locais. Mas aqui no Brasil, o conceito viria bem a calhar no trânsito caótico das grandes cidades. O futuro podia chegar mais rápido, não?