Uma suposta ex-funcionária do estúdio Warner Bros. publicou uma carta aberta direcionada ao CEO Kevin Tsujihara questionando as decisões executivas dos últimos anos e comentando, entre outras coisas, os resultados dos filmes da DC.

A ex-funcionária, que usa o pseudônimo Gracie Law, conta que foi uma das pessoas demitidas durante a reestruturação da companhia há dois anos; mas sua bronca não é simplesmente pela demissão – pois guarda um grande amor pela Warner – mas com o que Tsujihara tem feito no estúdio.

Law acusa as decisões executivas de Tsujihara como o motivo por milhares de pessoas estarem perdendo seus empregos na Warner. A antiga funcionária diz que o CEO não apoiou o devidamente o lançamento de obras como No Limite do Amanhã e O Agente da UNCLE, que eram bons filmes, e produziu grandes fiascos nos últimos anos, como O Destino de Júpiter, O Durão, Belas e Perseguidas, Max: O Cão Herói, Férias Frustradas, Caçadores de Emoção e Pan.

“As pessoas perdem seus empregos e você decide que Pan era uma boa ideia. Você acha que realizar outro Mogli (paralelamente a Disney) é uma boa ideia”, escreve a ex-funcionária na carta para Tsujihara.

O desabafo fica ainda mais interessante quando ‘Gracie Law’ comenta sobre os filmes baseados em personagens da DC. Ela diz que começou a escrever a carta logo após o lançamento de O Homem de Aço, quando o filme não se tornou o “clássico moderno” esperado pelo estúdio, mas esperou a estreia de Esquadrão Suicida para ter uma melhor opinião.

A ex-funcionária diz que acreditava no potencial do filme, pois adorava o diretor David Ayer, a personagem Arlequina, e ter nomes como Will Smith e o Coringa deveriam assegurar uma boa diversão. O resultado, no entanto, a decepcionou – o que levou Law a terminar a carta.

Ela acusa que Zack Snyder não está fazendo um bom trabalho, que falhou em Batman vs Superman, e mesmo assim continua como produtor dos filmes da DC e ainda retorna como diretor em Liga da Justiça – “ele está sendo premiado com a oportunidade de fazer mais pessoas perderem seus empregos”.

A antiga funcionária se mostra indignada que os mesmos produtores continuam sendo favorecidos, com o custo da força trabalhista – o que é um exemplo e uma lição de como funciona a vida em grandes empresas.

A carta de ‘Gracie Law’ termina dizendo que o painel da Warner na última Comic-Con foi uma bagunça, com uma apresentação que variou entre “apressada e chata”, e não mostrou confiança sobre o futuros lançamentos do estúdio.

A ex-funcionária acha que Tsujihara espera agora que a Mulher-Maravilha seja um sucesso, mas acusa: “Não tente esconder atrás de um ótimo trailer. Pessoas da produção já estão confirmando que é outra bagunça”.

Vale dizer que não há confirmação de que a autora por trás do pseudômino Gracie Law seja mesmo uma antiga funcionária da Warner Bros., e não há notícias oficiais sobre comentários internos da equipe de Mulher-Maravilha.

Via Minha Série.

Cupons de desconto TecMundo: