Moradores da Noruega foram pegos de surpresa semana passada ao olharem para o céu, no fim da tarde do dia 5. Luzes brilhantes e coloridas, no formato de riscos e nuvens, trouxeram uma visão inusitada e difícil de relacionar com qualquer fenômeno natural. Não demorou para que muitos acreditassem estar presenciando um autêntico ataque alienígena, e os alertas e relatos sobre a possível invasão extraterrestre se propagaram nas redes sociais. 

A confusão só chegou ao fim após a Nasa, a agência espacial norte-americana, divulgar que as estranhas luzes no céu eram resultado de um experimento com foguetes, que tem o objetivo de estudar a troca de energia que ocorre durante uma aurora boreal. 

O experimento, batizado de “Azure” pela Nasa, é parte de um estudo internacional que busca coletar mais informações sobre as partículas da ionosfera, camada da atmosfera entre a Terra e o espaço. Os dois foguetes lançados no céu da Noruega levavam instrumentos capazes de medir a densidade da atmosfera e a temperatura, além de expelir substâncias que reagem à luz do sol e formam vapores visíveis. 

“Estas misturas, usando substâncias similares às encontradas em fogos de artifício, criam nuvens coloridas que permitem aos pesquisadores traçar o movimento de partículas neutras e carregadas. Ao rastrear o movimento dessas nuvens coloridas por meio de fotografias e triangulando suas posições a cada instante em três dimensões, o experimento Azure vai fornecer dados valiosos sobre o movimento vertical e horizontal das partículas em duas regiões chave da ionosfera, ao longo de diferentes altitudes”, explicou a Nasa em comunicado oficial. 

Um vídeo divulgado no YouTube, pelo internauta Michael Theusner, traz um time-lapse das imagens que tomaram o céu da Noruega. 

Segundo a Nasa, dois outros lançamentos já haviam sido feitos em dezembro do ano passado e mais dois em janeiro. As duas missões finais ocorrerão em novembro deste ano.