A NASA detectou um vazamento de ar na Estação Espacial Internacional (EEI) na semana passada, mas só nesta terça-feira (04) é que a real causa desse problema foi descoberta. Inicialmente, falava-se no impacto de um pequeno meteoroide ou de um fragmento qualquer no casco de um dos módulos acoplados à EEI, mas o problema mesmo era um buraco feito com uma furadeira por um técnico russo que trabalhou no módulo Soyuz MS-09 aqui na Terra.

O furo foi feito para montar equipamentos no módulo, mas parece que atingiu a fuselagem onde não deveria. Acredita-se que o buraco tenha sido reparado pelo técnico — caso contrário, a Soyuz provavelmente não teria chegado à EEI — com uma supercola, mas esse “remendo” teria se rompido na semana passada.

O astronauta da agência espacial europeia, Alexander Gerst, detectou o furo e conseguiu tampá-lo temporariamente com seu próprio dedão. Em seguida, essa falha foi novamente reparada. De acordo com a NASA, esse vazamento não foi um problema realmente grave, mas precisava ser reparado. A agência Russa, a Roscosmos, vai investigar o problema de forma independente.

Contudo, essa história toda ficou um pouco mal contada. A NASA publicou um vídeo em sua plataforma explicando o assunto, e internautas notaram o furo nas imagens antes mesmo de ele ter sido revelado como a causa do vazamento. É possível notar um rastro de broca de furadeira em volta dele. Depois disso, a agência norte-americana removeu o vídeo do ar e o republicou agora sem as imagens do furo.

“Devido a um problema técnico, algumas imagens inéditas da IEE foram publicadas na sexta-feira 31 de agosto”, disse a representante da NASA Kathryn Hambleton em comunicado oficial ao CNET. “A NASA notou o erro rapidamente e agiu para editar o material e postar uma versão atualizada do vídeo”, completou.

Seja como for, todos os pesquisadores do grande laboratório espacial estão seguros nesse momento, e não há mais risco de vazamento eminente.