Nos últimos anos, a MediaTek ganhou bastante espaço no mundo dos smartphones com processadores muito bons que bateram de frente com outras grandes marcas do mercado. Desde meados de 2014, vemos muitas fabricantes optando pelo hardware da empresa taiwanesa, como foi o caso da Sony, da LG e da Quantum.

Apesar de muita gente não dar bola para os chips MediaTek, há várias tecnologias competentes e que já mencionamos algumas vezes aqui no TecMundo, como é o caso da MiraVision, um sistema que consegue balancear níveis de luminosidade, contraste e reduzir tons de azuis, que são nocivos aos olhos, oferecendo um conforto aos usuários e reduzindo o consumo de energia. Outros exemplos seriam um sistema de auxílio ao funcionamento dos sensores de autofoco das câmeras e correção de cores, ambos embutidos no chip.

Os chips da MediaTek contam com as tecnologias MiraVision e Tri-Cluster, que economizam a bateria e aprimoram o desempenho

Além disso, há o Tri-Cluster, presentes nos novos Helio X20 (o processador está no Quantum Fly), que traz três núcleos separados com clocks diferentes para gerenciar as diversas aplicações; ou seja, apps mais leves são processados por núcleos mais fracos, garantindo uma economia de bateria e evitando que o componente esquente.

Por conta desses destaques, separamos oito boas alternativas para quem pretende trocar ou comprar um novo smartphone em 2017 e prefere unir um ótimo custo-benefício com um hardware bacana. No geral, você verá que há opções para todos os gostos e bolsos. Confira a lista completa:

1 – Quantum MÜV Pro

A Quantum é uma empresa brasileira que ganhou bastante notoriedade no mercado depois do Quantum GO. O MÜV foi um lançamento de destaque em 2016 no ramo dos smartphones intermediários, e a versão Pro foi feita para quem quer mais desempenho, contando com 2 GB de RAM e processador MediaTek octa-core de 1.3 GHz.

Quantum MÜV Pro

2 – Sony Xperia XA

Xperia XA, da Sony, saiu no ano passado e já está com preços bem abaixo do que vimos no lançamento. O valor dele, que era o maior ponto negativo, vem diminuindo, tornando-o uma boa escolha em 2017. Trata-se de um celular com uma excelente câmera, ótimo design (uma das marcas registradas da empresa japonesa) e bateria durável, além de ser um dos smartphones mais finos do mercado.

3 – Xiaomi Redmi Note 3 Pro

A Xiaomi é uma marca chinesa que mexeu bastante com os brasileiros no lançamento do Redmi 2 e depois deixou todo mundo querendo mais, mas sem ter o que oferecer. O Redmi Note 3 Pro é um excelente smartphone, mas, como não está disponível oficialmente no Brasil, teria que ser importado e, portanto, ficaria até 60% mais caro por contas das taxas alfandegárias. Dependendo de quanto você estiver disposto a pagar em um celular, ainda pode valer a pena trazê-lo de fora em vez de adquirir um aparelho mais fraco por aqui.

Xiaomi Redmi Note 3 Pro

4 – Lenovo Vibe C2

A Lenovo vem trazendo muitos smartphones bacanas com processadores MediaTek, como é o caso do Vibe A7010, que tem até leitor de digital. O Vibe C2 também é um ótimo produto, pois usa um chip quad-core com um clock menor (em contrapartida ao chip octa-core do A7010), o que o torna um bom dispositivo de entrada para quem quer gastar pouco e ter um hardware relativamente potente, acompanhado de 1 GB de RAM.

5 – LG X Cam

A LG lançou diversos smartphones bem peculiares em 2016 e o X Cam cabe perfeitamente nessa descrição. Trata-se de um celular intermediário que conta com um diferencial visto apenas no top de linha da marca, o G5: duas câmeras traseiras que podem ser utilizadas de forma individual ou combinadas para enquadrar ainda mais elementos em uma única fotografia.

LG X Cam

6 – ASUS Zenfone 3 Max

Está procurando um smartphone com leitor de impressões digitais que seja mais barato? O Zenfone 3 Max é um bom celular com ótimo desempenho (processador MediaTek quad-core de 64 bits e 2 GB de RAM), bateria durável (4.100 mAh) e um design bem agradável, proporcionando um bom custo-benefício.

Zenfone 3 Max

7 – Quantum Fly

O Quantum Fly é um dos smartphones mais parrudos da lista, com um processador MediaTek deca-core e 3 GB de RAM, ideal para quem busca boa performance em um celular. E, apesar de apresentar especificações técnicas impressionantes (similares às de muitos aparelhos bem mais caros), seu preço está próximo – ou até abaixo – de muitos produtos intermediários.

8 – Meizu MX6

A Meizu é uma marca chinesa que está chegando ao Brasil de fininho, mas trazendo smartphones cada vez mais bacanas. O MX6 conta com o processador Helio X20, o mesmo do Quantum Fly, que traz bastante potência sob o capô. Entre os outros destaques, temos um leitor de impressões digitais muito eficiente, conexão USB Type-C e tela Full HD. As únicas ressalvas aqui são a falta de slot para cartão SD e a interface personalizada do sistema Flyme OS que, apesar de ser semelhante ao Android, traz diferenças que podem ser ruins em um primeiro momento.

A produção deste material foi patrocinada pela Quantum.