(Fonte da imagem: Divulgação/Nissan)

A Nissan anunciou nesta terça-feira (27) que pretende trazer ao mercado diversos modelos de carros automáticos até o ano de 2020. Além de ter feito esse anúncio audacioso, a empresa esclareceu que não está trabalhando em parceria com a Google no desenvolvimento de tecnologias que permitem que veículos sejam dirigidos sem que a interação humana seja necessária.

Segundo a companhia, ela está trabalhando junto a universidades como Stanford, Oxford, Carnegie Mellon, o MIT e a Universidade de Tokyo na criação de seus dispositivos autônomos. Além disso, a organização afirma que a base do desenvolvimento dos novos produtos é o talento de seu próprio time de engenharia.

A Nissan afirma que vai iniciar os testes de seus primeiros carros totalmente automáticos a partir de 2014 em circuitos localizados no Japão. A companhia diz que vai investir na construção de um local que conta com características de cidades reais, que será usado para “explorar os limites dos veículos em estradas públicas de forma a assegurar que a tecnologia é segura”.

A montadora afirma que sua intenção é adicionar capacidades autônomas a seus veículos em um período correspondente a duas gerações de lançamentos. Segundo a empresa, a intenção é que os carros equipados com a tecnologia sejam viáveis comercialmente e apresentem preços considerados realistas pelos consumidores — a CNBC estima que a inclusão das novas tecnologias em modelos de luxo devam encarecer o preço dos produtos em somente US$ 1 mil.