Que jogue a primeira pedra quem nunca esqueceu algo fora do lugar. Ninguém? Mesmo com laços nos dedos ou apps especializados em administrar todas nossas atividades, é difícil achar quem diga com sinceridade jamais ter passado horas procurando a chave de casa ou um documento importante. Apesar de isso ser algo comum para meros mortais, quando falamos de médicos – cujas ações afetam a vida das pessoas – o assunto fica sério. Assim, o que dizer de um profissional que esqueceu seu celular dentro do paciente após uma cirurgia?

Não, essa não foi uma pergunta hipotética. O caso bizarro realmente ocorreu no mês passado na cidade de Amã, capital da Jordânia. Pelo menos, é o que diz a vítima, Hanan Mahmoud Abdul Karim, de 36 anos, que foi internada em um hospital local para dar à luz no último dia 24 de abril. Segundo o site Gulf News, a mulher afirma que, depois de fazer a operação cesariana para realizar o parto, o cirurgião responsável pelo procedimento teria deixado seu dispositivo mobile alojado no abdômen dela.

Polêmica na Jordânia

De acordo com a mãe da moça, Majeda Abdul Hamid, a operação em si foi um sucesso, resultando no nascimento de um menino bastante encorpado, pesando cerca de 4,8 quilos. Como o quadro de saúde de Hanan estava dentro do esperado e sua recuperação foi rápida, não demorou para que ela recebesse alta e fosse mandada para casa. Porém, algum tempo depois, alguns integrantes da família perceberam que a barriga dela estava vibrando de forma intermitente e ela começou a sofrer dores bem fortes nessa região.

Médico do hospital público de Al Bashir com o raio-X da paciente.

Majeda chegou a levar a filha ao mesmo hospital no qual tinha dado à luz, mas como não conseguiu ajuda, a dupla correu para outro posto de atendimento público próximo. No local, um raio-X teria revelado que realmente havia um objeto estranho dentro da paciente. Como a situação era grave, Hanan foi operada com urgência logo em seguida para que o aparelho enfim fosse removido.

Assim que o caso chegou ao conhecimento do governo, um dos membros do parlamento, Salim Al Bataynah, pediu demissão por conta do escândalo. Além de colocar seu cargo à disposição, o político pediu que os colegas de plenário mostrassem responsabilidade e ficassem em cima do ocorrido. Isso não parece ter comovido o porta-voz do Ministério da Saúde da Jordânia, que acredita que a história não tem fundamentos e provavelmente é inventada, mas que estão acompanhando os fatos.

Já imaginou passar pela mesma situação? Pelas imagens exibidas no vídeo do início da matéria, parece que o suposto celular esquecido e depois retirado do abdômen da vítima é um daqueles modelos bem antigos – espesso e com flip –, fazendo com que seja possível imaginar as dores terríveis sofridas por Hanan. De qualquer forma, isso não quer dizer muito, já que é bastante provável que ter um finíssimo iPhone 6 ou Galaxy S6 Edge dentro de si não faria muita diferença nessa hora.

Cupons de desconto TecMundo: