Não é segredo para ninguém que os sul-coreanos esbanjam de uma internet rápida, estável, segura e acessível a todos habitantes. Quando o assunto for “durabilidade”, portanto, os caras manjam. Ou simplesmente tecnologia. Eis que um grupo de pesquisadores da Universidade Hanyang, em Seoul, desenvolveu uma tecnologia que visa prolongar a vida útil da bateria de dispositivos móveis, tais como smartphones e tablets.

A tecnologia foi batizada de “WALDIO”, sigla para “Write Ahead Logging Direct IO”, e tem por finalidade estender o ciclo da bateria desses aparelhos, bem como otimizar o desempenho geral deles minimizando uma quantidade de dados que um device assim processa. “O foco da tecnologia recém-desenvolvida é gravar uma pequena quantidade de dados, o que tornará possível utilizar memória em flash com preços menores por um tempo maior, como uma memória em flash cara o faria”, contou o professor You-jip Won, líder da equipe de pesquisa.

Os sul-coreanos constataram que o processo de salvar e deletar dados toda hora nos dispositivos móveis, tal como ocorre nos desktops, cria “buracos” e lacunas que, com o tempo, fazem a bateria se sobrecarregar e acabar com mais rapidez. Ao utilizar aparelhos móveis no modo pensado pelo time de pesquisa da universidade, um dispositivo pode manter apenas os dados necessários, fazendo com que o desempenho seja 20 vezes melhor – e a vida útil da bateria possa ser aumentada em até 39%.

E quando isso pode chegar ao consumidor final?

É basicamente a única informação que não está clara na pesquisa. Não se sabe se o “WALDIO” será flexível e facilmente instalável em dispositivos já existentes ou se eventualmente será algo embutido exclusivamente em aparelhos futuros – ou, ainda, se sequer vai chegar ao consumidor final.

Cupons de desconto TecMundo: