(Fonte da imagem: Gizmodo)

O crescimento do tráfego aéreo no Brasil e no mundo tem sido contínuo, já que cada vez mais aeronaves entram em operação.

Consequentemente, os aeroportos que não são reformados ou que não possuem infraestruturas adequadas sofrem com o congestionamento de voos, atrasos, redirecionamentos, entre outros problemas constantes.

Visando solucionar esses obstáculos, a empresa GE Aviation desenvolveu um sistema capaz de criar um caminho aéreo inteligente para as aeronaves. Esse sistema de rastreamento por GPS é bastante preciso e faz com que os aviões não tenham mais que depender 100% das torres de controle – que podem não ceder autorização prontamente de pouso.

Trajetos mais fáceis nas alturas

A tecnologia foi batizada de Required Navigation Performance (Performance de Navegação Requerida, em tradução literal) e utiliza os satélites para rastrear aviões com uma precisão de 32 pés. O RNP exige que as aeronaves sigam rotas específicas e delimitadas por ele – trajetos tridimensionais que fazem com que os aviões tenham um voo mais eficiente e rápido. O RNP pode ajudar os pilotos tanto nos momentos de decolagem e pouso como no percurso dos destinos delimitados.

Em suma, os custos de combustível são menores, os voos podem ficar mais rápidos e menos gases são emitidos pelas aeronaves. O RNP também pode orientar os pilotos sobre acidentes geográficos no momento do pouso e solicitar que os pilotos façam outras rotas, que possam ser mais estáveis e seguras.

Lentamente implementada

A tecnologia RNP ganhou força nos aeroportos do mundo – especialmente nos que estão localizados próximos de grandes aglomerações urbanas ou montanhas. Recentemente, mais aeroportos receberam o sistema, já que os benefícios apresentados são muitos. Aqui no Brasil, quase uma dúzia de aeroportos dispõe da tecnologia RNP – o que faz com que os voos gastem aproximadamente 7,5 minutos menos em seus trajetos.

Em Queenstown, na Nova Zelândia, o RNP reduziu os atrasos mensais de 2400 minutos para 200 minutos. Em Cusco, no Peru, o sistema reduziu o cancelamento de voos em gritantes 60%. Mais aeroportos devem receber o RNP nos próximos meses.