(Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Há duas formas de estrelas liberarem grandes quantidades de raios gama: pela explosão de uma ou pela fusão de duas delas. Conforme mostrado pela revista New Scientist, em 2003 uma equipe de cientistas da Universidade do Kansas sugeriu que um bombardeio de raios gama estelares teria sido o responsável pela extinção de grande parte da vida terrestre há 440 milhões de anos.

O problema é que existem poucas provas que realmente consigam encontrar um culpado para isso, visto que qualquer estrela pode liberar o material. Mas agora, pesquisadores do Instituto Max Planck de Física Nuclear (Alemanha) estão com provas um pouco mais contundentes para confirmar o que foi dito pelos americanos.

Segundo os cientistas, o bombardeio realmente ocorreu na época em que os americanos afirmaram, mas em vez de uma simples fusão ou morte, ocorreu uma grande explosão de muitas estrelas em um determinado espaço – talvez pela fusão ou impacto entre várias delas. O resultado foi, segundo os alemães, a emanação de muitos raios gama em direção à Terra, o que causou a morte de muitos seres vivo da época.

Cupons de desconto TecMundo: