Sabe todos aqueles cursos de Photoshop que você fez para desvendar os segredos do programa e ser uma espécie de mestre na arte da edição de imagens? Pois isso não significa nada perto da habilidade que um simpático senhor de 97 anos tem. Afinal, enquanto você está aí recortando e colando camadas, ele está fazendo obras de arte no Paint.

Isso mesmo: o aplicativo de desenho que acompanha o Windows há anos e ao qual ninguém dá valor é a única ferramenta de trabalho do norte-americano Hal Lasko. Mesmo com problemas de visão em decorrência da idade, o aposentado, que já foi designer gráfico e projetista do exército durante a II Guerra Mundial, não abandonou sua veia artística e apelou para a tecnologia. E, mais do que dar continuidade ao seu trabalho, ele conseguiu criar algo único.

A partir das ferramentas extremamente simples que o Paint oferece, Lasko consegue criar verdadeiras obras de arte, como as que ilustram esta notícia. E tudo é tão bem feito e caprichado que é realmente difícil acreditar que essas pinturas se originaram de recursos como pincel, spray e o famigerado balde de tinta.

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Hal Lasko)

No entanto, o artista revela seu segredo: por conta de sua visão já bastante debilitada, ele amplia a imagem para poder trabalhar nos detalhes e, com isso, consegue obter resultados impressionantes. Além disso, Lasko explica que também é preciso um pouco de paciência — algo que ele alega ter de sobra. Segundo ele, se uma obra exige dois anos para ser concluída, ele vai se dedicar a ela sem qualquer tipo de pressa.

E era óbvio que tanta habilidade não poderia permanecer oculta do público por muito tempo. Para mostrar ao mundo o dom do quase centenário artista, dois jovens — incluindo o neto de Hal, Ryan Lasko — fizeram um pequeno documentário apresentando os métodos de trabalho e um pouco do processo criativo por trás de cada uma das pinturas.

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Hal Lasko)

De quebra, eles também desenvolveram um site para que Hal Lasko pudesse exibir e comercializar suas obras. E o hobby já começou a gerar um retorno bem interessante, já que o “pintor de pixels” — como a página se refere ao autor — vende seus quadros por uma média de US$ 98, ou seja, cerca de R$ 220 na cotação atual. Além disso, segundo a página, 10% desse valor é doado a programas que auxiliam os veteranos de guerra. Uma causa nobre.

E você aí fazendo homens-palito...