Sede da Apple em Cupertino, nos Estados Unidos (Fonte da imagem: Reprodução/9to5Mac)

A Apple vem se esforçando bastante para fazer com que seu iOS Maps se torne um aplicativo interessante e está disposta a comprar que empresa for pra tornar isso possível. E a Maçã recentemente somou mais duas companhias à sua busca por formas de melhorar seu serviço de mapas: a BroadMap e a Catch.

A conexão entre a primeira e o iOS Maps é a mais óbvia, já que a tecnologia da companhia foi utilizada por aplicativos como o Nokia HERE e o MapQuest. O sistema de informação geográfica da BroadMap pode ajudar a organizar e analisar os dados de mapas, além de dar ao serviço da Apple informações mais precisas. Cabe ressaltar, no entanto, que a empresa da Maçã adquiriu somente o pessoal e a tecnologia por trás do serviço, e não a companhia em si.

Já a ligação com a Catch é um pouco obscura, já que a empresa é conhecida por um app de anotações que compete diretamente com o Evernote, o que traz benefícios óbvios aos serviços similares da Apple. No entanto, a relação com os mapas vem do fato de que a companhia também costumava operar um programa conhecido para Android chamado Compass, que inseria notas sobre cada local, permitindo que você “anotasse o seu mundo”.

Enquanto isso, no canto escuro da sala

As duas companhias se juntam a uma lista crescente de negócios que a Apple adquiriu durante o ano de 2013 – aquisições que foram concluídas sem nenhum pronunciamento oficial, mas que certamente podem fortalecer os produtos e serviços já existentes da companhia. Questionada sobre o assunto, a empresa deu sua resposta-padrão de que compra empreendimentos de tecnologia menores de tempos em tempos e não divulga seus planos.

Somente no que diz respeito a mapas, a Apple comprou a Locationary, que agrupa informações de localização dos usuários, a Hopstop, especializada em navegação local, e a Embark, que faz apps voltados para o trânsito. Espera-se que todos esses recursos contribuam para melhorias drásticas no iOS Maps, que teve um lançamento desastroso no ano passado.

(Fonte da imagem: Reprodução/All Things D)

Entre essas e outras companhias, a empresa de Steve Jobs também adquiriu em 2013 a fabricante de chips de baixo gasto energético Passif Semiconductor, o serviço de guia de vídeos e recomendações sociais Matcha.TV e a responsável pelo Kinect do Xbox 360, a PrimeSense – sendo esta última parte de um suposto acordo de US$ 360 milhões (aproximados R$ 845,9 milhões).

Planos misteriosos

As aquisições da Apple fazem sentido tanto pelo interesse da empresa em melhorar seus serviços (especialmente o de mapas) quanto pelo elevado lucro anunciado pela companhia no quarto trimestre de 2013, no total de US$ 7,5 bilhões (algo em torno de R$ 17,6 bilhões). Acompanhar as aquisições corporativas é sempre uma ótima forma de prever com mais segurança os misteriosos planos da Maçã, ainda que não sirva como certeza.

(Fonte da imagem: Reprodução/9to5Mac)

Não seria absurdo imaginar, por exemplo, que a empresa esteja pensando em algo como uma integração entre Siri e um serviço como o da Catch para concorrer com mais força  e coesão contra o trabalho conjunto do Google Now e do Keep, que ajudam os usuários a rastrearem suas anotações e seus lembretes para se manterem atualizados sobre os planos de cada dia.

Cupons de desconto TecMundo: