Exemplo de ferimento sofrido dentro das instalações da companhia chinesa. (Fonte da imagem: Reprodução/DailyMail)

Ao que parece, aquela história de que alguns dos fornecedores da Apple não obedecem às leias trabalhistas está longe de acabar. A novidade é que a empresa em questão é a Biel Crystal Manufactory, que conta com dependência em Hong Kong e também é uma das responsáveis por fabricar telas para a Maçã.

De acordo com informações de diferentes fontes, ativistas da associação chamada Estudantes e Acadêmicos contra a Má Conduta Corporativa foram os responsáveis por reconhecer as irregularidades. Além disso, a entidade foi a responsável por elaborar um relatório explicando o que está errado dentro da companhia.

Situação daquelas bem ruins

Por conta das informações contidas no documento, a Biel está sendo acusada de obrigar os seus colaboradores a trabalhar 11 horas por dia, durante toda a semana e com direito a somente um descanso por mês. E é claro que uma situação como essa baixa a qualidade de vida dos trabalhadores.

Como se não fosse o suficiente, há alegações de que os funcionários se ferem com certa frequência e não recebem a assistência necessária (não há informações sobre essa questão dizer respeito a dinheiro ou tratamento médico). Outro delito é o fato de que os chineses são obrigados a assinar contratos completamente em branco.

Sem episódio final...

Por conta de tudo isso, há relatos de cinco suicídios ocorridos em 2011 entre os colaboradores da Biel Crystal Manufactory. Apesar de todas essas acusações, a companhia chinesa afirmou apenas que vai investigar os casos, com o objetivo de verificar se eles são mesmo verdadeiros ou se o caso é infundado.

Enquanto isso, a Apple enviou um comunicado à imprensa norte-americana, afirmando que exige que as suas fornecedoras sejam responsáveis dentro do próprio método de fabricação e tratem a sua força de trabalho com respeito e dignidade. 

Cupons de desconto TecMundo: