Em 2008, a Apple lançou uma loja digital para oferecer aplicativos para os seus próprios aparelhos, a famosa Apple App Store. Acontece que a empresa da Maçã acabou se desentendendo com a Amazon, quando ela começou a chamar a sua ferramenta de Amazon App Store for Android — e essa confusão se estendeu até este ano.

Contudo, depois de muita discussão e processos judiciais, a Apple decidiu que não vai mais brigar para que a Amazon compre a permissão para utilizar o termo “App Store”. Segundo Kristin Huguet, que é porta-voz da Maçã, a companhia oferece 900 mil aplicativos e tem milhares de pessoas que compram os softwares com frequência.

Ainda de acordo com Huguet, por conta desses números, o público mostra claramente que a loja da Apple é preferência, tornando a disputa judicial sem sentido. Apesar dessa conclusão pouco comum, a Amazon encara o resultado como uma vitória, pois a empresa vai poder continuar o seu trabalho sem qualquer interferência.

E mais coisas aconteceram...

(Fonte da imagem: Reprodução/Mobiquityinc)

Além das questões sobre a utilização do termo “App Store” no nome da loja digital, a Apple também processou a Amazon por conta de falsa publicidade. Isso aconteceu pelo fato que de a companhia da Maçã alegou que a sua rival havia atrelado a denominação de lojas de aplicativos diretamente com o sistema Android, característica que poderia causar confusão.

Em contrapartida, a Amazon alegou que a denominação é bem comum, sendo que a juíza do caso, Phyllis Hamilton, decidiu a favor desta alegação, o que acabou com a questão no começo deste ano.

Cupons de desconto TecMundo: