Uma das atitudes mais conhecidas da Apple nos últimos tempos é processar a Samsung ou qualquer outra empresa por causa de quebra de patentes. Seja pelo formato de um smartphone ou alguma tecnologia obscura, a empresa de Cupertino sempre aparece com uma ação e uma patente que ninguém nem sabia que ela tinha.

Isso pode parecer mesquinharia ou síndrome de “dono da bola”, mas agora foi finalmente revelado o motivo pelo qual a empresa registra patentes para tudo — uma razão que faz tudo ter muito mais sentido.

Segundo uma reportagem do jornal The New York Times, a Apple raramente registrava patentes para suas tecnologias. Esse era o padrão da companhia até 2006, quando a Creative Technology processou a então empresa de Steve Jobs devido a uma quebra de patente para um tocador portátil de MP3. No caso, o aparelho que teria causado isso era o iPod.

A Apple não teve saída e desembolsou 100 milhões de dólares por causa do processo. Graças a isso, Steve Jobs resolveu que tudo o que fosse criado dentro da empresa teria que ser patenteado.

Quando o iPhone foi criado, a Apple patenteou tudo o que podia. Engenheiros da empresa agora devem fazer reuniões mensais, em que se reúnem com um advogado e detalham no que estão trabalhando. Então, o advogado analisa a possibilidade de entrar com o pedido de patente ou não.

Em alguns casos, mesmo quando os advogados sabem que não podem patentear alguma tecnologia, entram com o pedido mesmo assim, pois, quando ele for negado, isso impedirá que outras empresas tentem registrar a ideia.

Processos: só em último caso

De acordo com a reportagem do The New York Times, a Apple conseguiu gastar no último ano mais em registros de patentes do que no desenvolvimento de novas tecnologias. Isso poderia ser um sinal de que a empresa pretende processar todos que tentarem lançar algo parecido com algo registrado, mas um comunicado explica que nem sempre essa é a saída.

“Apple sempre significou inovação. Para proteger nossas invenções, nós patenteamos várias tecnologias dos nossos incríveis produtos. Nos raros casos em que tomamos medidas legais para contestar uma patente, isso aconteceu por não haver mais soluções.

Nós acreditamos que empresas devem sonhar e inovar em seus produtos em vez de copiar os nossos e, em agosto, um júri na Califórnia chegou a essa mesma conclusão.”

Tendo esses fatos em mãos, a Apple parece bem menos um bully tentando processar todo mundo por besteira e começa a se assemelhar muito mais a uma empresa apenas defendendo os seus interesses, não é mesmo?

Fonte: Cult of Mac e The New York Times

Cupons de desconto TecMundo: