(Fonte da imagem: Unwired)

A Apple costuma registrar muitas patentes. São tantas que muitas nem serão colocadas em prática em um futuro próximo. Além disso, sabemos que a empresa não gosta de mudar detalhes importantes de seus aparelhos sem uma necessidade verdadeira. Prova disso é o lançamento do iPhone 5, que, apesar de continuar excelente, decepcionou quem esperava por mais recursos inovadores.

Porém, não custa nada sonhar um pouquinho com as patentes recém-publicadas da Apple e que nos ajudam a ter uma ideia das tecnologias que podem surgir no futuro. Dessa vez, a empresa de Cupertino registrou suas ideias para telas flexíveis que poderiam ser usadas tanto no iPhone quanto no iPad.

Esse tipo de tela ainda está em fase bastante experimental e, a princípio, deve demorar um bocado para ser comercializado em larga escala e a se popularizar. Mesmo assim, a Maçã já consegue prever alguns casos de uso muito bacanas para esse tipo de display.

Sistema de som e teclado tátil embutidos

O mais interessante nessa patente não é a tela flexível, mas sim os usos que ela pode fornecer, oferecendo novas formas de interação com os gadgets da empresa. Para começar, uma série de atuadores piezoelétricos por baixo do display possibilitaria um feedback tátil para quem estivesse usando o aparelho.

(Fonte da imagem: Unwired)

Dessa forma, você teria uma tela lisa como as de hoje enquanto navegasse na internet ou lesse seus emails. Mas, assim que invocasse o teclado virtual do iPad, por exemplo, seria possível sentir as letras ao digitá-las.

E como se não bastasse, inovações em relação ao sistema de áudio também poderiam ser feitas. Já que o display é flexível, ele seria capaz de reagir às vibrações do som quando alguém falasse próximo a ele. Assim, a empresa poderia posicionar um microfone a laser logo abaixo da tela, permitindo, dessa forma, que a voz fosse capturada por ela. Isso ajudaria a repensar até mesmo o design externo do aparelho, já que os "furinhos" para o microfone não seriam mais necessários.

Pensando de maneira reversa, se o display é capaz de captar som, ele também poderia muito bem emitir áudio usando o mesmo componente. Bastaria a inclusão de um transdutor, equipamento capaz de transformar correntes elétricas em vibrações, para que a própria tela fosse usada como membrana emissora de som.

E ainda melhor: posicionando diversos transdutores que vibrassem de maneiras diferentes, seria possível embutir subwoofers, tweeters e outros tipos de alto-falantes no mesmo dispositivo, equipando-o com um sistema de som completo.

É uma pena que isso tudo levará anos para chegar ao consumidor final, não é?

Fonte: Unwired

Cupons de desconto TecMundo: