A corte federal de São Francisco entrou com um processo contra a Apple, acusada de monopólio em sua loja digital de aplicativos. Segundo o texto, a companhia obrigou os desenvolvedores a venderem seus produtos exclusivamente via App Store e também determinou os preços dos produtos entre 2007 e 2013.

Se perder, a Apple terá que devolver milhões de dólares aos usuários que compraram softwares na App Store entre 2007 e 2013

Os programadores não podem distribuir os softwares para iPhones e iPads por conta própria e ainda têm de repassar 30% do valor para a Maçã. O advogado Mark Rifkin afirma que isso configura uma violação à lei antitruste estadunidense por aumentar o valor dos produtos e excluir competidores no mercado.

Rifkin também adiantou que a ação deve envolver todo mundo que comprou apps no período. Isso significa que, caso perca, a empresa terá que devolver milhões de dólares aos usuários, equivalentes aos 30% que recebeu com as vendas.

Maçã já tinha sido acionada pelo mesmo motivo

O processo original foi movido por uma corte menor em 2011, quando a gigante de Cupertino saiu ilesa ao alegar que “não vende apps, mas sim a distribuição de serviços para desenvolvedores. Na época, ela citou uma resolução da Suprema Corte de 1977, que barra a devolução aos consumidores que se sentiram prejudicados pela companhia que não vende seus produtos diretamente a eles.

Contudo, Rifkin acredita que esse argumento não é válido, pois os usuários compram da App Store não dos programadores. “A analogia da Apple não convence. Os desenvolvedores de apps para os iPhones não possuem suas próprias lojas digitais.”

Cupons de desconto TecMundo: