Nas últimas semanas, boa parte do que saiu na internet envolvia o Galaxy Note 7, mas a Apple também esteve protagonizando um pequeno escândalo recentemente. De acordo com fontes da Austrália, funcionários de uma Apple Store localizada em Brisbane foram demitidos após serem acusados de roubar fotografias de clientes.

Segundo a publicação, um funcionário da loja — que também é uma assistência técnica — flagrou outro navegando pelas fotografias de uma cliente que havia deixado o iPhone para reparo. Com o fato relatado à direção, a Apple enviou um executivo de recursos humanos para o local para que ele pudesse fazer as investigações.

Ainda segundo as fontes, foi descoberto que quatro homens funcionários da loja estariam envolvidos em um esquema de "avaliação das clientes mulheres". Nisso, eles selecionavam fotografias salvas a partir dos smartphones e computadores deixados para reparos e então compartilhavam os materiais entre eles — que ainda davam notas para cada uma das garotas expostas.

Foto da Apple Store de Carindale, em Brisbane

Outra denúncia era de que eles também tiravam fotografias de outras mulheres que trabalhavam no local, quase sempre sem autorização. Mas a Apple diz que a história não é exatamente assim....

A versão da Apple

Poucos dias após o escândalo, a Apple enviou um comunicado oficial às publicações australianas. No material, a empresa diz que as investigações foram realmente feitas, mas que "não foram encontradas quaisquer evidências de que os funcionários estavam realmente compartilhando e avaliando fotos alheias sem autorização".

Mesmo assim, a Apple confirma que demitiu vários funcionários por causa de "desrespeito às políticas e condutas da empresa", mas não cita quais seriam os reais motivos para isso. No final do comunicado, a Apple ainda diz: "Acreditamos no tratamento igualitário e com respeito, não toleramos comportamentos que vão contra nossos valores".

A Apple diz que não foram encontradas evidências de que os funcionários estavam realmente compartilhando e avaliando fotos alheias sem autorização

Vale lembrar que esta é a segunda vez que as Apple Store da Austrália se envolvem em alguma polêmica. Como lembra o Engadget, no ano passado ocorreu um incidente em Melbourne em que os funcionários da loja expulsaram um grupo de jovens negros afirmando que "tinham medo que eles roubassem algo". Na ocasião, o CEO Tim Cook disse que esse tipo de comportamento era "inaceitável".

......

Como já dissemos, ainda não há como saber quais foram as razões pelas quais a Apple demitiu os funcionários. Mesmo sem evidências concretas, será que a empresa achou mais prudente evitar possíveis escândalos?

Cupons de desconto TecMundo: