(Fonte da imagem: Reprodução/oneclickroot)

Apesar de ser um sistema robusto e evoluído, o Android tem muitas vulnerabilidades que são apontadas como grandes falhas por consumidores que usam o Windows Phone e o iOS.

Normalmente, os problemas se devem à instalação de aplicativos de fontes desconhecidas que acabam abrindo brechas no sistema e instalando uma série de pragas de difícil remoção.

Todavia, recentemente, outra praga vem atormentando a vida de muitos usuários. Em fevereiro deste ano, a Bluebox Security detectou uma vulnerabilidade no Android que ficou conhecida como Master Key.

Trata-se de uma falha que possibilita a um hacker modificar APKs (arquivos compilados) sem a necessidade de quebrar criptografias. Essa alteração de código pode ser realizada em qualquer app do seu smartphone. Vamos ver os reais perigos e como solucionar o problema.

O que pode acontecer com meu smartphone?

Independentemente se você baixa apenas aplicativos oficiais da Google Play ou se obtém softwares de terceiros, a Master Key garante ao hacker meios de modificar boa parte da estrutura de um app. O criminoso pode facilmente embutir códigos maliciosos capazes de roubar dados sem que você perceba qualquer atividade fora do comum.

(Fonte da imagem: Reprodução/Android Police)

Apesar de poder pintar e bordar no seu smartphone, o hacker tem certas limitações quando altera os códigos de programas desenvolvidos por terceiros, visto que esses apps não contam com permissões especiais. Entretanto, o real perigo está nos softwares de fabricantes (Sony, Samsung, LG, HTC, Motorola e todas as outras), os quais são privilegiados.

Caso um criminoso consiga instalar um trojan em uma aplicação oficial do telefone, ele terá acesso a todos os dados (SMS, emails, documentos, senhas e outros itens) e pode ainda controlar todas as funções (realizar chamadas, enviar mensagens, ligar a câmera, gravar conversas, mudar a senha de acesso). Moral da história: seu celular virará um zumbi!

Conforme a informação da Bluebox, essa vulnerabilidade existe em quase todos os smartphones e tablets lançados nos últimos quatro anos (que tenham o Android 1.6 ou superior instalado). Isso quer dizer que aproximadamente 900 milhões de dispositivos do mundo estão à mercê de hackers.

A culpa não é totalmente da Google!

Sem pensar muito, qualquer um culparia a Google por essa vulnerabilidade, afinal, trata-se de uma falha que já existe há quatro anos e que até agora não foi consertada. De fato, a dona do Android é a principal responsável, mas não devemos nos precipitar.

Ao que tudo indica, nesses quatro anos, quase ninguém (ou quem sabe nenhum hacker) teve a capacidade de descobrir essa falha. Assim, a Master Key era apenas um problema que não representava riscos potenciais, visto que não havia criminosos capazes de explorar a brecha.

De fevereiro para cá, a Google teve de assumir a bronca, encarando a situação de frente e prestando contas para seus usuários. A empresa encontrou uma solução e eliminou a brecha. Entretanto, a correção — pelo que verificamos em nossos testes — só foi liberada no Android 4.3.

(Fonte da imagem: Reprodução/sammobile)

Agora, você deve estar perguntando: por que não foi liberada para outras versões? Bom, para aplicar uma correção desse nível, é preciso instalar o sistema completamente. Não basta baixar um simples aplicativo, visto que ele não pode (por restrições de segurança do Android) acessar a área do sistema que está com problemas.

Se você tem boa memória, talvez se lembre de que o Android 4.2 foi lançado em novembro de 2012. Portanto, a correção só poderia vir em uma nova versão do sistema, a qual foi lançada em julho deste ano. De qualquer forma, ainda vale notar que a solução só foi adicionada à versão-padrão do software.

Cada fabricante atualiza o seu Android

No meio desse problema gigantesco, a Google se isenta de muita responsabilidade, afinal, ela só desenvolve o sistema-base e fornece o Android apenas para os aparelhos da linha Nexus. Depois que ela fornece o código-fonte para terceiros, a responsabilidade é transferida para cada empresa (Samsung, LG e todas as outras).

(Fonte da imagem: Reprodução/Android Police)

Isso quer dizer que todos os smartphones (e tablets) que possuem esta brecha devem receber uma atualização oficial da fabricante, visto que cada uma realiza adaptações no Android e deve fornecer ROMs específicas para que haja total compatibilidade com cada dispositivo. Portanto, se o seu celular ainda está desprotegido, a culpa é da fabricante!

Sabendo de toda essa história, e dos perigos, é bem sensato que façamos uma análise no celular para descobrir se ele esta vulnerável ou protegido. Vamos ver como proceder.

Como identificar?

  1. Baixe e instale o aplicativo Bluebox Security Scanner;

    Baixar Bluebox Security Scanner

  2. Execute o programa e aguarde o resultado;
  3. Se no campo “Patch Status” alguma mensagem indicar “Unpatched/vulnerable”, você deve estar ciente que seu aparelho tem brechas na Master Key;
    Ampliar (Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)
  4. No segundo campo, a mensagem “Allowed” (Permitido) indica que apps de fontes não confiáveis podem ser instalados no seu celular. Talvez seja interessante desativar a opção (em Configurações > Segurança);
    Ampliar (Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)
  5. O pior problema é se o Bluebox encontrar algum aplicativo com código malicioso. Isso quer dizer que possivelmente a falha Master Key já foi explorada e seus dados estão expostos.
    Ampliar (Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Como consertar o problema?

Conforme citamos acima, a correção da brecha deve acontecer em lançamentos das futuras versões do Android para cada dispositivo. Contudo, é claro que nós não teríamos a coragem de reportar um problema e deixar vocês desesperados.

Assim, vamos ensinar como eliminar a Master Key em dispositivos que tenham o Android 4.0.3 ou superior instalado — infelizmente não temos nenhuma dica para os sistemas anteriores. Vamos lá:

  1. Faça o root no seu smartphone;
  2. Baixe e instale o Framework Xposed clicando aqui ou usando o QR Code abaixo;
  3. Após executar o app, clique em “Install/Update” para que ele entre em operação. Você deverá reiniciar o aparelho para que as configurações entrem em funcionamento;
    (Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)
  4. Agora, baixe e instale o Master Key dual fix (aplicativo disponível na Google Play);
  5. Abra o Xposed e acesse a aba “Modules”;
    (Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)
  6. Ative o Master Key dual fix.

Moleza, não? Agora seu aparelho não está mais vulnerável. Vale notar que esta é uma solução temporária, portanto vale ficar de olho nas atualizações do seu dispositivo para, quando possível, instalar uma correção oficial. Esperamos ter ajudado. Até uma próxima!

Cupons de desconto TecMundo: