Desde seus primórdios, o Android mostrou ser um sistema promissor. Oferecendo o código principal do software, a Google conseguiu atrair diversas parceiras para criar um ecossistema com diversas opções de hardware, software e preços. Não é à toa que hoje ele é o sistema mais utilizado nos smartphones e já tem tantos apps quanto o iOS.

No ano passado, o Android saiu vitorioso de diversas formas, mas, com 2013 começando, o cenário pode mudar muito. Neste ano, o sistema da Google deverá encarar novos concorrentes móveis, tentar abocanhar um pedaço maior do mercado dos tablets e trazer smartphones ainda mais robustos. Resta a dúvida: será que ele vai continuar no topo?

Hoje, vamos falar dos possíveis rumos do Android em 2013, das novidades que vêm por aí e de algumas dificuldades que ele deve enfrentar. Se você pretende embarcar no mercado mobile neste ano, recomendamos que você leia este texto para não tomar decisões precipitadas.

Smartphones ainda mais robustos

Os Androids não só dominaram o mercado, como também alcançaram um fato inédito: um modelo em particular tomou a coroa do iPhone. Em 2012, o Samsung Galaxy S3 vendeu mais unidades do que o iPhone 4S. Além disso, ele foi o celular mais procurado e vendido no Natal (dados referentes ao Reino Unido).

Considerando o hardware, podemos selecionar um bocado de aparelhos que superam as especificações do iPhone 5. O próprio Galaxy S3 tem tela com maior resolução e compatibilidade com tecnologia NFC. Alguns aparelhos são mais "ignorantes" e colocam o celular da Apple pra comer poeira, caso do HTC DROID DNA, o qual traz display com resolução Full HD.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/HTC)

Para 2013, nossas expectativas são de mais modelos com telas Full HD, com processadores mais robustos (quad-cores com clock de 2 GHz?), equipados com 2 GB de memória RAM de maior velocidade, com muito espaço para armazenamento e câmeras ainda mais avançadas. Também não será surpresa alguma se vermos modelos ainda mais leves, finos e resistentes.

Vale lembrar que a Google ainda não fez uma grande jogada com sua própria fabricante. A Motorola está andando com as próprias pernas, mas nada impede que tenhamos um novo aparelho da empresa vindo por aí. É verdade que o Nexus 4 é o tão almejado aparelho que a Google sempre quis lançar, mas nada impede que eles façam algo ainda mais ousado.

No que depender da “potência” em hardware e da variedade oferecida pelas tantas fabricantes, não temos por que duvidar da capacidade de dominância do Android. Entretanto, há outros fatores que podem abalar esses números incontáveis de vendas.

Os inimigos agora são outros

O Android é um sistema que evoluiu muito e conseguiu conquistar os consumidores pela liberdade de escolha e, principalmente, pela enormidade de recursos oferecidos. O iOS é um inimigo muito poderoso no setor mobile, mas o robozinho da Google já mostrou que ele é capaz de superar o sistema da Maçã.

(Fonte da imagem: Divulgação/Nokia)

O Android superou um grande desafio ao derrotar o iOS, mas agora ele terá um problema muito maior: manter a primeira posição. Daqui para frente, o sistema da Google deverá batalhar contra diversos sistemas. O iOS ainda é um dos mais perigosos, porém, se o robozinho não tomar cuidado, alguns novatos podem ameaçar seu trono em pouco tempo.

Em 2013, o Windows Phone 8 tem grandes chances no mercado mobile. A briga deve ser bem acirrada, tanto é que a Google já deu alguns sinais de que não vai facilitar o sucesso do novo sistema da Microsoft. Por ora, a Google não pretende lançar um app oficial do YouTube e não vai facilitar o acesso ao Gmail e ao Drive em dispositivos com o Windows Phone 8.

(Fonte da imagem: Divulgação/Tizen Association)

A preocupação não é apenas com o sistema da Microsoft e o da Apple. Neste ano, o Android vai conhecer um inimigo poderoso: o Tizen. O sistema desenvolvido pela Samsung trará uma série de recursos interessantes, inclusive suporte para aplicativos do Android. Moral da história: em teoria, você não precisará de um Android para usar seus apps favoritos.

Por fim, mas não menos importante, temos a chegada de um ilustre adversário: o Ubuntu. Apesar de não representar grande ameaça atualmente, o mais famoso Linux para desktops pode causar incômodos em um futuro não muito distante.

Crescimento nas vendas de tablets

Ao longo deste ano, conheceremos novos tablets com Android de diversas fabricantes e não é impossível que a Google lance um novo modelo da linha Nexus. As vendas desses produtos somadas devem ultrapassar sem dificuldades as dos tablets da Apple.

(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

As previsões de alguns analistas sugeriam que apenas em 2014 ou 2015 o iPad perderia a coroa. Todavia, considerando os números recentes (44% dos produtos contam com Android e 55% com iOS), pode ser que o sistema da Google domine o mercado já neste ano.

Ainda é cedo para fazer uma afirmação, pois há muitos produtos com Windows 8 chegando para brigar, contudo, mesmo considerando algumas adversidades e quem sabe uma grande jogada da Apple, ainda podemos pensar que o Android tem grandes chances.

Um sistema para paladares mais apurados

Não temos como saber se o Android vai continuar com todo o vapor, mas uma coisa é certa: a Google vai fazer de tudo para atrair ainda mais pessoas para o mundo do robozinho. Até agora a desenvolvedora fez os movimentos corretos, lançando atualizações importantes, corrigindo erros e oferecendo recursos realmente úteis.

Neste ano, a nova versão do Android, a Key Lime Pie, pode ser o grande trunfo que levará o sistema às alturas e aumentará ainda mais as vendas de aparelhos. A Google já conseguiu conquistar muitos consumidores que antes preferiam o iOS. Agora, com o novo software, a companhia pode abalar de vez o conforto da Apple e também das outras desenvolvedoras.

(Fonte da imagem: Reprodução/Tech Radar)

Previamente, fizemos um artigo relatando possíveis recursos do Android 5.0. Acontece que a Google já incluiu algumas novidades na versão 4.2, portanto nossas apostas foram reduzidas. Pode ser que vejamos algo semelhante ao FaceTime, mas isso deve ser bem difícil, visto que não é do feitio da companhia restringir funcionalidades.

Talvez possamos aproveitar perfis personalizáveis, que atendam suas necessidades conforme sua rotina, os locais que você frequenta e de acordo com os gadgets conectados ao seu Android. Essa função seria muito útil e não duvidamos muito que ela esteja presente no Key Lime Pie.

Fora isso, não podemos prever muita coisa, mas, no mínimo, teremos um sistema ainda mais seguro, bem rápido e com algumas mudanças na interface (mesmo que sejam detalhes sutis). Claro, todas essas novidades devem ser restritas aos aparelhos da linha Nexus, pois as demais companhias personalizam seus produtos — e até já têm algumas dessas funções.

Explorando novos mercados

Para finalizar, devemos notar que o Android não é um sistema exclusivo para tablets e smartphones. Diversos outros produtos já trazem o software da Google, e em 2013 devemos conhecer novos produtos inteligentes ou com versões mais recentes do sistema.