Semana passada, a Google anunciou o tão esperado Android M. Ao contrário do que alguns podem imaginar, a nova versão do produto não é algo que vem para remodelar toda a interface, já que não é de costume da companhia retrabalhar o design todos os anos.

Na verdade, a mais recente versão do robozinho vem pra melhorar o que nós vimos já gostamos no Lollipop e ainda adicionar algumas novidades. Trata-se de um sistema mais robusto e preparado para as necessidades do consumidor.

Para não deixar os usuários na expectativa, no mesmo dia do anúncio, a Google disponibilizou uma versão de testes para download no site oficial. É claro que nós corremos para baixar a imagem do sistema e, dessa forma, testar as principais novidades anunciadas.

Infelizmente, para nossa surpresa, a instalação do Android M foi um pouco complicada, sendo que presenciamos mensagens de erro tanto ao colocar o software no Nexus 6 quanto no Nexus 9. Depois de algumas manobras, concluímos o processo com sucesso, conseguindo operar todos os recursos sem dificuldades. Entretanto, tudo ainda está bem bugado.

Aos que estão pensando em testar o produto, é preciso ficar atento, pois o sistema só está disponível para aparelhos da linha Nexus (e isso exclui versões anteriores ao Nexus 5). Atualmente, o software está em estágio Developer Preview, ou seja, é uma prévia para desenvolvedores. Nós não recomendamos a instalação desta versão para o uso no dia a dia.

Interface sem grandes novidades

Como já comentamos acima, o visual do Android M não é algo completamente diferente, já que a Google optou por não fazer grandes alterações nesse quesito. O tema geral do sistema continua quase idêntico ao do Lollipop, com o Material Design no comando. A barra de notificações ainda muda de cor conforme o app aberto e os ícones são os mesmos.

Aliás, falando nisso, ao tentar acessar as notificações e configurações rápidas, já encontramos o primeiro problema do sistema. A barra de notificações simplesmente não funciona. Você até pode puxá-la e logo verá a mensagem “Sem Notificações”, mas não há como ativar WiFi ou usar outros recursos (todas as configurações devem ser feitas pelo menu mesmo).

A tela inicial do sistema não mudou nada, mantendo as mesmas proporções e configurações. Acredite se quiser, mas o botão Home não funciona, o que é uma vergonha, considerando que ele exerce uma função primordial do sistema (esperamos que a correção saia logo).

Não deu para testar o Google Now On Tap :(

Esse defeito do botão Home não só complica o uso do sistema, como ele elimina a possibilidade de testar uma das principais novidades do Android M: o Google Now on Tap.

Para quem não acompanhou a conferência do Google I/O, vale comentar sobre a genialidade por trás deste recurso. Com o novo Google Now, você pode realizar pesquisas rápidas baseadas em contexto.

Por exemplo: se você está vendo um cartaz de um filme no Google Chrome, mas não sabe quem são os atores que fazem parte do elenco, basta perguntar para o Android (com o comando “Ok, Google”) para obter uma resposta inteligente. O Google Now vai identificar os atores, dar detalhes sobre data de estreia, link para o trailer e muito mais!

Só para constar, nós encontramos o apk do novo Google Now e até tentamos usá-lo no Lollipop (instalamos o programa no Nexus 5), mas ele simplesmente não funciona. O aplicativo até apresenta os cards, mas não muda a funcionalidade do botão Home, nem ativa os recursos de voz, pois apresenta incompatibilidade com o microfone.

Novo menu

Bom, ao acessar o menu de aplicativos, nos deparamos com a primeira grande alteração do sistema.  Os programas, que antes eram separados por páginas, agora estão numa grande lista alfabética.

A ideia é a mesma que já vimos em apps como o Aviate, mas parece que a Google não fez a lição de casa. As letras ficam empilhadas e não há um índice rápido para navegar entre os softwares, mas pode ser que esse menu ainda seja atualizado, então vamos aguardar.

Se por um lado, a navegação não está tão simplificada, por outra, no topo, os apps mais utilizados ficam disponíveis para você acessar rapidinho. Vale notar ainda que agora há também uma barra de busca, que deve ajudar um bocado aos que têm muitos aplicativos instalados.

Configurações

Além de alguns ajustes e do Google Now, o Android M trouxe uma série de novidades em suas configurações que visam dar mais segurança e praticidade ao usuário. Uma coisa legal é a função “Exibição de Ambiente”, que liga a tela automaticamente quando você pega o celular na mão pra ver uma notificação. Uma pena que não funciona.

Com o feedback dos usuários, a Google melhorou o controle de volume. Agora, dá pra colocar no silencioso apenas abaixando o volume totalmente (é só descer totalmente até o mínimo e depois pressionar mais uma vez o “Volume Down” para colocar o aparelho no silencioso).

Outra novidade interessante é o gerenciamento de outros sons direto nessa área. Basta pressionar a setinha da direita para controlar o volume dos alarmes e dos aplicativos, sem ter que acessar as configurações.

Indo na contramão do que a Google sempre pregou, o Android M terá suporte para cartões micro SD — o que inclui a instalação de apps direto no armazenamento adicional. Só é curioso pensar que os aparelhos da linha Nexus não aceitam cartão SD. Sendo assim, essa novidade deve chegar apenas para o Android One e outros que usam o sistema em sua versão original.

O gerenciamento de apps também mudou bastante. Em vez de ter as listas antigas, todos os apps são mostrados numa única lista. A parte ruim disso é que não dá pra saber de um jeito fácil o que está rodando. Pra fazer isso, agora tem que clicar no ícone de “Opções “, acessar “Avançadas” e entrar em “Memória”. Nada prático!

Uma coisa muito boa pelo menos é que dá pra controlar as permissões dos programas. Você pode definir qual app pode usar a agenda, os contatos, a câmera, a localização, o microfone, as mensagens, sensores e até o telefone. A instalação ocorre normalmente na Google Play, mas caso você dê alguma permissão e se arrependa, é possível modificá-la posteriormente.

Agora, você também pode controlar qual aplicativo pode ignorar as otimizações de energia, garantindo assim mais desempenho a tais softwares. Alguns programas da Google já vêm configurados nesse campo e você pode adicionar outros quando quer que um app rode conforme a desenvolvedora programou.

O sistema “Tocar e pagar” é outra grande novidade do Android M, mas ele não funciona no Brasil ainda para podermos testar. Na parte de localização, o sistema agora tem configurações pra você melhorar a detecção do seu local com permissão automática para alguns apps ligarem o WiFi e o Bluetooth sozinhos.

Os bloqueios de tela continuam iguais, mas a versão atual do sistema está bugada e quando usamos a opção “Deslizar”, o aparelho destrava sem precisar deslizar o dedo na tela. Um negócio muito esperto foi colocar as configurações do Google dentro do painel de Configurações. O ícone que antes ficava no menu some e fica dentro das opções “Pessoais”.

Para finalizar, vale ressaltar que o sistema tem um novo sistema de compartilhamento, chamado Direct Share, que serve pra mandar imagens e textos diretamente para seus contatos favoritos. Além disso, há uma nova função para seleção de textos. Contudo, essas duas funções ainda não funcionam na Developer Preview.

Um sistema promissor

Bom, como você pode ver, o Android M está recheado de novidades. Nem todas chamam muito a atenção do usuário, já que são modificações mais leves apenas para deixar o sistema mais funcional e inteligente, mas acreditamos que a Google está no caminho certo.

Infelizmente, por ora, pouca coisa está funcionando e o Google Now on Tap não funciona de jeito algum. O sistema promete, mas somente em uma próxima versão de testes saberemos se ele vai entregar tudo que esperamos. O que você achou do novo Android? Já conseguiu fazer alguns testes? Deixe sua opinião!

Cupons de desconto TecMundo: