Engarrafamentos são um dos maiores problemas enfrentados pelos centros urbanos atualmente. A frota de carros cresce e o número de veículos por habitante é cada vez maior. Muitas pessoas frequentemente até levam horas para se deslocar de casa para o trabalho ou para a faculdade.

Uma coisa é certa: não há como construir novas ruas nos centros das cidades. Algumas melhorias de urbanismo podem ser realizadas, mas conter o avanço da frota de veículos já é algo impensável. A baixa qualidade dos transportes coletivos desmotiva as pessoas a utilizarem o ônibus ou o metrô, o que agrava ainda mais a situação.

Ao pensar em todas essas questões, os estudos acerca de meios de transporte aéreos para curtas distâncias têm progredido muito nos últimos anos, com protótipos testados por diversas empresas espalhadas por todo o globo. Neste artigo discutiremos um pouco mais sobre as melhorias e desvantagens dos veículos urbanos que muito em breve preencherão os céus das grandes cidades.

Uma tarefa complexa

O vídeo acima mostra uma passagem do filme “O Quinto Elemento” em um futuro não tão distante, que retrata um pouco do que poderemos conferir em nossas vidas. Ali os carros são muito parecidos com os atuais, mas se deslocam em diversos níveis de altura diferentes, em meio às dezenas de arranha-céus, cada vez mais comuns pela falta de espaço nos centros das cidades.

Toda a fluência do trânsito exibida no trecho é um dos maiores desafios dos desenvolvedores dos novos veículos. Sistemas de posicionamento eficientes com ferramentas anticolisão extremamente complexas serão uma necessidade para evitar acidentes, que serão bem mais fatais do que nos carros atuais.

 

Outro problema é criar ferramentas de direção simples de usar por pessoas comuns. Ao guiar em três dimensões o processo se torna bem mais difícil, o que precisa ser levado em conta por quem cria um carro voador. Atualmente já é complicado manter os novos veículos estáveis em testes, o que precisa ser melhorado drasticamente ao pensar em uma situação real na vida humana.

Para finalizar, é necessário um sistema de voo que atue de forma vertical, já que nas cidades não há espaços semelhantes às pistas de decolagem para os novos carros. Os veículos também não podem ser muito grandes e precisam apresentar boa mobilidade nas ruas, além de serem econômicos o suficiente para não agravarem a crise energética que o planeta enfrentará em alguns anos.

Vantagens

Voar sobre aquele engarrafamento enorme das avenidas e chegar em casa em poucos minutos é o sonho de todo motorista nos finais de tarde. A mobilidade dos transportes aéreos poderá ser infinitamente melhor do que temos hoje. Se as avenidas forem divididas em níveis de altura, teremos dezenas de alternativas para escapar dos engarrafamentos e chegar mais cedo em nossos destinos.

Com veículos que não enfrentam trânsito intenso e que podem sobrevoar áreas com facilidade também se torna viável morar um pouco mais longe do caos urbano. Em poucos minutos você levantará voo e partirá para casa em velocidades bem mais altas do que ocorre atualmente, sem problemas em morar a 50 Km de distância do seu trabalho.

Projetos a caminho!

Moller Skycar

Desde 1989 a empresa já conseguiu colocar um veículo em levitação no ar, o antigo Moller M200X. Depois de duas décadas, diversas alterações e melhorias foram feitas, o que resultou no Skycar, um dos protótipos de maior sucesso até agora.

Com diversos propulsores laterais, o veículo terá capacidade de levitar com facilidade. A velocidade de cruzeiro do Skycar passará de 400 Km/s de acordo com informações de seu desenvolvedor. A proposta deles é de cobrar cerca de 60 mil dólares pelo veículo quando ele estiver pronto para ser vendido em larga escala.

PAL-V

A sigla remete a “veículo pessoal para terra e ar”, projeto de desenvolvedores holandeses como uma evolução de seu carro terrestre já lançado. A ideia agora é acoplar hélices de helicóptero retráteis ao veículo, o que permitirá que ele voe por algumas horas e também seja fácil dirigir nas ruas.

 

Com apenas uma roda na frente, o PAL-V se inclina nas curvas como uma moto, o que torna a direção agradável e reduz os efeitos de inércia sobre o piloto. A empresa tem realizado testes nos últimos meses para criar um sistema de hélices viável para o veículo.

Urban X-Hawk

A companhia israelense é uma das mais avançadas na elaboração de veículos de decolagem vertical. Os testes do X-Hawk estão bastante adiantados, com simulações reais de voo bem-sucedidas em diversas ocasiões.

 

O veículo já consegue se manter estável ao flutuar, graças a sistemas de medição de altura e angulação bastante precisos. A versão média dele conseguirá carregar até oito passageiros. Também há a ideia de usá-lo a fim de transportar aparelhos de atendimento médico para alcançar locais com feridos inacessíveis para veículos terrestres.

SkyRider X2R

As indústrias MACRO também já desenvolveram um projeto ambicioso quanto ao carro voador. Chamado de SkyRider, ele poderá viajar a quase 400 Km/h e carregar duas pessoas. Tudo isso será possível a partir de um motor central que alimentará quatro potentes hélices.

Protótipos "Tabajara"

Aerocar International’s

Tem gente que quer ganhar a fama de construtor do carro voador a qualquer custo. Os desenvolvedores do Aerocar pegaram um avião, colocaram rodas maiores e uma frente semelhante a de um carro no modelo. O resultado eles chamam de carro voador, mas vai ficar bem difícil colocar um desses na garagem.

Terrafugia

Semelhante ao modelo anterior, o Terrafugia se parece mais com um avião do que com um carro. A maior novidade nele é a capacidade de encolher as asas, o que o torna até dirigível, mas longe de ter a mobilidade de um carro convencional no trânsito. Além disso, centenas de metros de pista livre são necessários para o modelo levantar voo. Apesar de tudo, o modelo já teve bons resultados como avião, como você confere no vídeo abaixo: