MP3, WMA, RMVB, AVI, DivX, enfim, quem nunca quebrou a cabeça em saber o que fazer com tantas nomenclaturas e extensões diferentes em arquivos de áudio e vídeo? Um deles não funciona no computador, o outro não toca no DVD, aquele lá não dá para ver no Ipod... Sem dúvida, é necessário um aplicativo que deixe tudo funcionando onde deve funcionar, certo?

Para isso existem os conversores de mídia, pequenas ferramentas capazes de interpretar um determinado tipo de arquivo, transcrevendo-o para outro com a melhor fidelidade possível. O MediaCoder é um dos aplicativos gratuitos mais completos na questão de formatos suportados, mas a uma primeira vista, ele pode parecer um bicho de sete cabeças para quem não tem afinidade em conversão de mídia.

Uma pequena ajuda para iniciantes

Embora pareça extremamente complexo mexer nas possibilidades do MediaCoder, muito disso é apenas impressão. É fato que ele contém realmente muitas opções de personalização nas conversões, mas muitas delas já estão em sua melhor configuração nos valores padrão estipulados pelo programa.

Em outras palavras, significa que você precisará mexer bem pouco nas funções do aplicativo, deixando a maioria das lacunas como padrão. Vamos agora a uma breve explicação sobre o conversor e como fazer para transformar o formato de seus vídeos e arquivos de áudio com sucesso.

Começando

Antes de mais nada, vamos elucidá-lo sobre as funções principais do programa. A primeira janela em branco que você encontrar ao executar o MediaCoder é o local em que os arquivos a serem convertidos serão inseridos. Logo abaixo segue uma breve explicação das funções encontradas nos botões referentes à tal janela.

Botões principais do aplicativo.

Add – O primeiro botão da barra inicial serve simplesmente para adicionar os arquivos de mídia à caixa de seleção. É possível adicionar arquivos únicos, dois ou mais deles, pastas inteiras e até mesmo links da Internet para realizar algum tipo de conversão.

Remove – Como o nome deixa a entender, a função serve somente para remover arquivos adicionados por engano. Basta selecionar o arquivo desejado e clicar no botão para que ele seja eliminado da lista.

Clear – Caso tenha escolhido os arquivos errados ou queira iniciar um novo projeto, utilize a função “Clear”. Ela, basicamente, remove todos os arquivos selecionados da lista, sem que você precise retirá-los separadamente da seleção.

Play – Toca o arquivo selecionado, caso você tenha dúvidas se é realmente ele que você quer converter, ou se não lembra exatamente do seu conteúdo apenas pelo nome indicado.

Skip – Pula uma das faixas selecionadas na caixa de seleção, avançando para a próxima.
Pause – Como em um player de áudio ou vídeo comum, congela a imagem ou som. Pode ser alternado com o botão play, de forma muito natural.

Start – Inicia a conversão, embora seja fundamental clicar neste botão somente após feitas todas as mudanças essenciais nas configurações de conversão.

CONVERTENDO

Para facilitar um pouco as coisas em seu aprendizado, decidi colocar uma pequena imagem ilustrando cada uma das etapas que fiz na conversão de um arquivo. Siga corretamente os passos e esteja atento a todos eles para completar a tarefa com sucesso. Lembre-se de já ter escolhido o arquivo para converter antes de começar o guia listado logo abaixo.

Confira as funções logo abaixo.

Agora, vamos ao que interessa. Para personalizar a conversão, há uma lista de abas logo abaixo da janela em que se encontram os arquivos. Separei as abas individualmente para tornar a explicação um pouco mais didática.

GENERIC

Output Folder – Esta opção define a pasta em que o novo arquivo será salvo. Para mudar a pasta de destino, basta clicar em Browse e em seguida, escolher o novo local. Como padrão, os arquivos serão salvos no mesmo diretório em que os originais se encontram.

Working Folder – A pasta selecionada nesta opção é que o aplicativo usará durante a conversão. Como padrão está a pasta Temp, que representa os arquivos temporários do Windows. Portanto, deixar esta opção como indicado pode ser uma boa alternativa.

Personalize o áudio do arquivo de saída.

AUDIO

Source – Seleciona a fonte utilizada na conversão. Esta opção pode sempre ser deixada em “Auto Select”.

ENCODER – Destaquei esta função por ela ser responsável pela extensão do arquivo criado. Aqui você deverá estar atento ao tipo de arquivo que gostaria de formar. É preciso selecionar corretamente o codec utilizado, como “Windows Media Audio”, ou WMA, por exemplo.

Resample – Mede a taxa de hertz inserida na faixa. Caso você não tenha conhecimentos avançados sobre o tópico, deixando a alternativa como “Original” manterá a taxa como a da música de origem.

Channel – Esta função, que é muito interessante, permite selecionar o tipo de áudio de saída em relação à divisão das freqüências. Se você vai assistir a um filme em um home theater, por exemplo, é interessante colocar a opção como 5.1, ou de acordo com as especificações do aparelho.

As outras duas funções não devem ser modificadas caso você não as domine. Deixá-las como padrão não alterará em nada a qualidade do som no arquivo de saída. No próximo tópico trataremos das configurações básicas de vídeo.Personalize seus vídeos.

VIDEO

As opções para modificar os seus arquivos de vídeo a partir do MediaCoder seguem os mesmos padrões do que foi explicado no tópico anterior. Por via das dúvidas, seguem as descrições de cada função desta aba logo abaixo.

Mode – Esta opção é referente ao método que o aplicativo utilizará para delimitar a conversão do vídeo. A opção padrão faz a conversão baseada na taxa de Kbps por segundo inserida no arquivo. Você pode trocar esta alternativa para “Quality-based”, por exemplo, alterando o valor na barra disponível logo abaixo da opção.

FORMAT – Como fiz anteriormente, ressaltei esta alternativa por se tratar do formato determinado para o novo arquivo. Escolha cautelosamente o padrão desejado de acordo com o motivo da conversão, se é para tocar em seu aparelho de DVD, computador ou iPod, por exemplo.
As outras alternativas listadas abaixo não requerem atenção especial e podem ser deixadas como padrão sem comprometer o seu vídeo.

Terminando a conversão

Agora que você já mexeu nas funções principais do vídeo, é possível convertê-lo através do botão “Start”, localizado no painel de botões principais do aplicativo. Depois, é só aguardar o término do processo, que pode levar um bom tempo, dependendo da capacidade de processamento do seu computador e o tamanho dos arquivos utilizados.

DICAS IMPORTANTES

Você pode ter notado a falta de outras características existentes no MediaCoder neste guia, o que é perfeitamente natural pela quantidade de funções existentes no aplicativo. No entanto, este artigo é voltado para iniciantes em conversão, focando os principais tópicos a serem mexidos na tarefa.

Ao dominar as funções citadas acima, fique livre para testar todas as outras, aprendendo aos poucos como utilizar o programa por completo. Não se preocupe em realizar conversões erradas ou incompletas nas primeiras vezes, pois errando você aprenderá muito neste aplicativo.